33º Domingo do Tempo Comum – Dia dos Seminários e Dia Mundial do Pobre

 

Põe mãos ao trabalho alegremente. (cf. Prov 31,10-13.19-20.30-31)

Deus age por amor e salva com alegria.
Perante a noite da criação, Deus brilha como Sol de justiça,
envia o seu Espírito de profecia e a sua Palavra encarnada
para libertar os que esperam a salvação
e despertar os que andam adormecidos na perdição!
Cada um de nós é vocação,
chamamento a pôr a render os nossos dons,
com audácia, zelo e fidelidade!
A Igreja é esta mulher virtuosa, que ama o seu Esposo
e distribui com largueza pelos pobres,
educando para a liberdade, para o amor e para o louvor.

A vida é uma janela de oportunidades, uma aventura!
Há os que olham o mundo com o coração,
veem o que podem fazer e colocam mãos à obra.
Não se sentem salvadores, mas responsáveis,
pois sabem que devem fazer a sua parte com alegria e esperança.
Há outros, cheios de dons e qualidades,
que por comodismo e medo, vivem a vida como espetadores,
comentando e julgando, exigindo como parasitas.
Há outros ainda, que gostariam de dar a sua contribuição,
mas não têm oportunidade de conseguir emprego,
de estudar, de ter acesso à paz e à justiça, de ter um salário justo.

Senhor, Fonte de salvação e chamamento à colaboração,
ajuda-nos a responder à nossa vocação,
com alegria, sentido de Igreja e amor libertador.
Cristo, que vieste para fazer a vontade do Pai,
dá aos que chamaste a serem sacerdotes na tua Igreja,
um coração de pastor, a ternura de uma mãe,
o zelo de um atleta, a alegria de um coração disponível.
Espírito Santo, dom generoso e gratuito que gera fraternidade,
faz-nos sensíveis aos pobres e ajuda-nos a criar-lhes oportunidades
de também eles poderem colaborar na construção do teu Reino
e sentirem a dignidade de serem Filhos de Deus!

Pe. José Augusto

Comentários

Comentários