1º Domingo da Quaresma

Jesus esteve no deserto quarenta dias e era tentado por Satanás. (cf. Mc 1,12-15)

O Espírito impele-nos ao deserto, a um êxodo libertador,

a um percurso novo em direção à terra prometida,

a um retiro comunitário, onde a voz de Deus se escute

e ponha à prova outras vozes tentadoras do volta-a-trás,

da murmuração, da revolta, da idolatria, do autismo egoísta.

São quarenta dias para reacreditar no Evangelho de Jesus

e renunciar a outros evangelhos de engano e de ilusão.

Quaresma é uma opção de vida: deixar-se conduzir pelo Espírito,

guiados pela mão de Jesus e aprender com Ele

a reconhecer o Mal e a resistir às suas tentações de felicidade.

Muitas vezes pensamos que pelo fato de sermos praticantes,

batizados e consagrados, que já não somos tentados!

Não! Satanás tenta-nos sempre e torna-se mais criativo,

quando vê que nos queremos ver livres dele.

Por isso, um retiro pode ser um tempo de grande prova,

a oração uma ocasião para distrações e devaneios,

a Eucaristia um assalto de ruídos interiores

que negam o Corpo de Cristo que comungamos…

Senhor Jesus, Aliança nova que nos lavas do pecado,

dá-nos o teu Espírito de discernimento e de fortaleza

para sabermos identificar e lutar contra o Mal.

Aumenta a nossa fé na bondade do teu Evangelho

e ensina-nos a caminhar em Igreja, em retiro purificador

de tudo o que nos afasta do irmão e do louvor ao Criador.

Pai, não nos deixes cair na tentação e livra-nos do Mal.

Pe. José Augusto

11655431505_52279365d4_z

Comentários

Comentários