1º Domingo da Quaresma – S. Cirilo e S. Metódio

Durante quarenta dias, esteve no deserto, conduzido pelo Espírito, e foi tentado pelo Diabo. (cf. Lc 4,1-13)

Jesus é conduzido ao deserto pelo Espírito Santo,
mas o Diabo vai também para O tentar conduzir.
A oração, o silêncio, a Palavra de Deus e o jejum
ajudam a ouvir melhor o Espírito e a clarificar a vontade de Deus,
mas não impedem de escutar outros espíritos
que respondem às necessidades físicas e psicológicas,
falam em promessas de ganhar o poder do mundo
e arriscam a vida, atribuindo as culpas a Deus que não o protegeu!
O Diabo até cita a Palavra de Deus, não para a seguir,
mas para nos apanhar com o anzol da piedade e da fé!
A Quaresma deve preparar-nos para identificar e resistir às tentações!
A fé em Jesus Cristo e o seu seguimento
devem ser válidos em todas as situações da vida.
Quando começamos a justificar tudo,
de acordo com as circunstâncias e o meu bem-estar,
então começámos a ser comandados pelo Diabo!
Os sintomas são a ambição de poder e de fama desmedida,
a dissonância entre a prática religiosa e a ética prática,
o cansaço que me tira tempo para amar a Deus e os outros,
as dependências várias que me autodestroem e adoecem,
a mentira de vida e o rancor que me tiram a paz e a tranquilidade!
Hoje o Diabo não veste de monstro, mas de modernidade!
Ó Deus, nosso Pai e Senhor, nós cremos em Ti,
mas aumenta a nossa fé e ilumina o caminho da nossa salvação.
Ajuda-nos a ir ao deserto da meditação e da verdade,
para que saibamos identificar as ervas daninhas
que fazem parte do nosso jardim, nos consomem energias,
e nos impedem de dar frutos generosos de Cristo!
Quando vamos para rezar ou telefonar a alguém solitário,
e nos assaltam pensamentos de urgência e de desconforto,
ajuda-nos a resistir à tentação de não termos tempo e de adiar!
Ajuda-nos a resistir à tentação de fazer uma religião à nossa medida,
e dá-nos a sabedoria da fidelidade a Cristo, que nos guia!
José Augusto

Comentários

Comentários