Chegou a hora de nos levantarmos do sono. (cf. Rom 13,11-14)

Advento é tempo para despertar a esperança,
para acordar a vida sonhada por Deus,
para libertar a vida de comas induzidos,
para amar sem banca de câmbio nem juros de empréstimo,
para nos desarmarmos de espadas de vingança,
armaduras de medo e estratégias de destruição.
Advento é tempo para fortalecer a fé e vigiar a esperança,
para que a ilusão não nos adormeça
nem o dia-a-dia eclipse a eternidade verdadeira.
Hoje aboliu-se a espera nua e crua.
Enquanto se espera, ocupa-se o tempo
com uma leitura, um telefonema, uma soneca, um sms,
uma música, uma consulta na internet, uma conversa…
Ocupados assim, a espera passou a ser passatempo,
alheados da preparação e vigilância de quem se espera.
Por isso, o mercado já se veste de Natal no Advento
porque não aguenta esperar tanto tempo.
Os namorados já se aventuram a viver como casados,
porque não aguentam esperar tanto tempo.
Senhor Jesus, Luz a revelar-se no futuro tu-a-Tu,
faz da nossa vida uma espera consciente
e do nosso Advento uma vigilância discernida e crente.
Desperta-nos dos nossos messianismos políticos,
idolatrias materiais, sonhos de poder e pesadelos violentos.
Reveste-nos com o Teu Espírito de conversão e verdade,
para que caminhemos com sandálias de humildade,
vestes de santidade, óculos de fraternidade e coroa de paz.
Pe. José Augusto Leitão.
Terminada a partilha sistemática do pe. José Manuel Martins de Almeida agradecemos ao pe. José Augusto Leitão a sua partilha neste sitio.

Comentários

Comentários