21º Domingo do Tempo Comum

Repito que não sei donde sois. Afastai-vos de mim, todos os que praticais a iniquidade’. (cf. Lc 13,22-30)
O Pai reconhece-se no Filho, nas suas metas e no seu caminhar!
O Filho é tal e qual o Pai no que ensina e pratica,
no que ama e perdoa, no que busca e no que cuida!
Ambos vivem a alegria da comunhão do mesmo Espírito!
Jesus é a Porta estreita da Aliança que faz do tempo misericórdia,
que ensina a vida saudável e adelgaçada da caridade e da verdade!
Cristo não se reconhece nos que se chamam seus discípulos,
mas optam pela obesidade do orgulho,
por uma vida cheia de más ações e falcatruas,
por satisfazer a gula insaciável de egoísmo narcisista,
por viver uma vida camuflada de praticante religioso!
A cédula do Batismo, do Crisma, da Primeira Comunhão,
da matrimónio ou da Ordem não garantem o salvo-conduto
para entrar na eternidade da felicidade no Céu!
Podemos ter currículo de andar na Igreja e a Ela pertencer,
mas se vivermos fora de Cristo como Caminho, Porta,
Pastor, Videira, Pão da Vida, Amor incondicional, Verdade, Paz…
usamos Cristo mas não lhe pertencemos nem O conhecemos!
Podemos até ser funcionários do religioso, consagrados e ordenados,
acólitos e sacristães, coristas e leitores, de missa diária ou dominical,
mas se não praticarmos o bem e não ensinarmos o Caminho,
andamos fora de Jesus, com t-shirt e toga de cristão!
Podemos ter casado na Igreja, mas se não nos esforçamos por amar
e passar todos os dias pela porta estreita do namoro contínuo,
do diálogo e do perdão, da fé e da caridade,
deixamos de ser sacramentos da aliança de Cristo com a Igreja!
Senhor, louvado sejas pela oportunidade que nos destes
de nos deixares a porta aberta da salvação enquanto vivemos!
Jesus, nosso salvador, Caminho e Porta que nos abre o Céu,
envia-nos o teu Espírito e desperta-nos da mentira em que vivemos!
Ajuda-nos, cada dia, a rever o nosso caminhar,
os seus frutos e orientação, o lugar que ocupas
e o que nos faz palpitar o coração, para que, com humildade,
possamos pedir ajuda para retomarmos o Caminho!
Liberta-nos e cura-nos duma vida obesa de orgulho e de avareza,
para que possamos passar todos os dias pela Porta da Verdade,
do amor ao próximo, do louvor que se faz evangelização,
da misericórdia que se oferece e cura a relação!
Pe. José Augusto
28367166634_8e27c65606_z

Comentários

Comentários