Filho do homem, coloquei-te como sentinela na casa de Israel. (cf. Ez 33,7-9)
Deus é um Pai-Mãe atento à felicidade de todos os Seus filhos.
Não quer que ninguém seja infeliz nem cave a sua morte.
Colocou-nos a nós como sentinelas de aviso do perigo,
como os olhos que nos vêm as costas que não conseguimos ver.
Somos responsáveis uns pelos outros,
por isso, a correção fraterna faz parte da missão de cada um.
Ver que o irmão caminha cego para o precipício da maldade
e não o avisar, com amizade e pedagogia humilde,
é condenar-nos a nós mesmos por falta de caridade.
O respeito pelo outro deixa o irmão ser livre,
mas o amor por ele avisa-o dos perigos que corre.
Os pais devem ensinar os filhos a serem adultos e discernidos,
e por isso, devem corrigi-los com amor e oportunidade.
O cidadão deve interessar-se por uma sociedade justa,
e, por isso, deve empenhar-se na ação política, cívica e profética.
Fechar-se sobre si mesmo, em nome da tolerância,
é deixar que o barco se afunde com todos,
só porque o rombo é no camarim do lado!
Senhor, pedagogo da liberdade e mestre da felicidade,
abre os ouvidos do nosso coração à Tua palavra de aviso.
Cristo, Irmão sentinela dos perigos do rebanho,
abre os olhos do nosso coração para que vejamos em todos
um irmão a ajudar a ser feliz e libertar-se do caminho do mal.
Espírito libertador e luz que desperta para a verdade,
ensina-nos a corrigir sem humilhar e avisar sem julgar.
Faz da Igreja sentinela da paz, da liberdade e do amor.
Pe. José Augusto

Comentários

Comentários