Renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-Me. (cf. Mc 8,27-35)

Jesus, para encarnar e nos salvar da nossa vida de morte,
renunciou a si mesmo, à sua condição divina e eterna,
tomou a nossa cruz e ajudou-nos a fazer a nossa Páscoa.
Seguir Jesus é aprender com Ele a amar apaixonadamente,
a não ser cruz para ninguém, a servir a vida com alegria,
a fazer tudo, com paciência, respeito e oportunidade,
para que ninguém se perca em miragens de felicidade.
Seguir Jesus é viver na fé, mesmo na solidão da ingratidão,
como Cireneu voluntário que vai dando a mão
a quem sucumbe cansado, sem esperança nem Norte!
A consciência de que somos sujeitos de direitos
é uma conquista importante da humanidade.
No entanto, os direitos vistos com óculos egoístas
viram reivindicações sem contrapartidas de deveres,
caprichos sem critérios do bem comum e justiça social,
indiferença pela sorte do outro, avareza justificada.
A irresponsabilidade social é uma modalidade de escravatura,
porque obriga os outros a carregar a nossa cruz!
Quantos pais carregam a cruz de filhos imaturos?
Quantos contribuintes carregam dívidas de políticos corruptos?
Quanto sofre o planeta pela utilização desequilibrada
e industrial dos seus recursos?
Quantos inocentes têm que fugir da sua terra e pedir refúgio
por causa de sonhos de poder que semeiam medo e guerra?
Senhor Jesus ensina-nos a renúncia por amor!
Messias, despojado de honras e servo por opção,
conduz os nossos passos para que a caridade seja libertadora
e não nos cansemos de fazer o bem e de perdoar!
Ajuda-nos a não ser uma cruz para ninguém
e a humildade de aceitar a ajuda quando caímos no chão.
Que o teu Espírito nos fortifique com um amor incansável,
para que ajudemos os fracos a carregar as suas cruzes!

Comentários

Comentários