25º Domingo do Tempo Comum

Jesus perguntou-lhes: «Que discutíeis no caminho?». (cf. Mc 9,30-37)

Jesus dialoga com o Pai sobre como chegar a todos
e a todos salvar da sua vida errante e triste.
Como o coração é empedernido e cego,
caminha demoradamente para lhes ensinar a sabedoria de viver.
Como há crianças, pobres e marginalizados,
fez-se pequeno, pobre e servo para a todos evangelizar.
Até os torturados e injustiçados O podem encontrar,
porque Ele esteve lá e perdoou ao crucificado arrependido!
Quem quiser ser seu discípulo deve viver para amar,
não desejar ser grande para si, mas servo para salvar!
Quais são as causas das nossas discussões e insónias?
Porque não me respeitam a mim que sou o chefe
ou porque me sinto humilhado e explorado!
Como vencer na vida, deixando os outros para trás?
O horizonte é de curto prazo e o centro são “eus” aos gritos,
em guerras de poder, de fama, de riqueza, de religião…
Anda tudo de sapatos altos e nariz empinado
a pisar os pequeninos e a derrubar os mais frágeis!
Anda o amor de si tão inchado que cega a fraternidade!
Louvado sejas, Filho de Deus, que aceitaste ser nazareno pobre
e peregrino incansável dos nossos caminhos incertos
para a todos nos salvar com amor de bom pastor!
Louvado sejas pela grandeza da tua fidelidade à aliança,
que faz da tua vida uma total doação e serviço redentor!
Ensina-nos o diálogo de como amar mais e servir melhor,
continuando a tua missão de globalizar o amor,
inclinando-nos para escutar e abraçar melhor a sua dor!
Dá-nos o dom de Te seguir e servir com alegria e humildade!
Pe. José Augusto

 

Comentários

Comentários