Aldeia de Joanes/Aldeia Nova do Cabo – O núcleo da Cáritas está mais podre.

Vivia-se a faina da vindima, uma manhã ventosa mas quente, nos caminhos da transumância.

O Sol madrugador surgia das terras castelhanas, iluminando timidamente os cumes a Sul da Gardunha, quando veio a notícia do falecimento do Senhor João Pereira. Já se tinha comentado o seu grave estado de saúde.

Em Março de 2013, sob o título “ Aldeia de Joanes – Um Enfermeiro Madeirense a Aliviar as dores e feridas nas Minas da Panasqueira,” abordei a sua vida profissional, principalmente os vinte e dois anos na prestação de serviços de enfermagem aos mineiros e às suas famílias. Com tão longa experiência, incentivei-o a escrever um livro de tantas vivências humanas e sociais. A sua ação foi decisiva para salvar vidas e minimizar o sofrimento dos mineiros.

Em 2002, em Aldeia de Joanes e mais tarde em Aldeia Nova do Cabo, nasceu o Núcleo Paroquial da Cáritas Diocesana. João Pereira, enfermeiro aposentado, depressa aderiu como voluntário a esta instituição sócio caritativa, participando ativamente na área da saúde e dirigindo gratuitamente um curso de primeiros socorros.

João Pereira era um elemento disponível e sensível para os outros. Irradiava paz, serenidade e bondade. Nos tempos que decorrem, nesta vida agitada, é muito raro encontrar pessoas com este perfil.

João Pereira não dava nas vistas, não chamava a atenção das pessoas, desempenhava o seu trabalho cívico na instituição Cáritas com discrição – estava lá para servir e não para criar imagem. Apetece dizer que os seus gestos e a sua conduta social e humana chamavam mais a atenção de Deus do que a atenção dos homens.

O Presidente do Núcleo Paroquial da Cáritas, Padre Casimiro Mendes Serra, na Eucaristia Exequial, não se esqueceu de lhe prestar a justa e merecida homenagem, recordando que “durante a minha já longa vida de pároco, João Pereira foi alguém que me marcou, pois no serviço voluntário da Cáritas revelou sempre uma conduta, uma personalidade, uma inserção na comunidade, sendo sempre fiel a si próprio e aos seus ideais cristãos.”

O nosso amigo João Pereira nunca mais viajará para participar em reuniões e exposições importantes, onde procurava inteirar-se totalmente dos problemas dos mais necessitados.

O nosso amigo João Pereira não será mais um companheiro nos peditórios anuais da Cáritas Nacional, gestos não muito fáceis, às vezes incompreendidos, mas gratificantes em benefício dos que mais precisavam (no dia do seu funeral decorria um peditório para angariar material escolar para crianças com dificuldades económicas).

Ao olhar para o saudoso amigo João Pereira, companheiro da Cáritas e bom samaritano, lembro-me das palavras do Livro da sabedoria: “ o Justo, ainda que morra prematuramente, terá repouso. O Justo agrada a Deus e foi por Ele amado.” Termino pedindo as palavras do seu filho Rui Pereira: “ mais feliz entre os felizes é aquele que pode fazer os outros felizes.”

Descansa em Paz, amigo João Pereira.

António Alves Fernandes

Aldeia de Joanes

Setembro/2015

Comentários

Comentários