Jesus subiu só com eles para um lugar retirado num alto monte. (cf. Mc 9,2-10)
A Quaresma é um retiro eclesial a convite de Jesus.
Este retiro supõe um retirar-se da rotina quotidiana,
subir a um monte alto, conduzidos por Jesus,
e abrir-se à surpresa da oração que transfigura a esperança
e da escuta da Palavra que revela a presença na nuvem.
É uma rutura que nos faz subir e ensina a descer
com o ouvido curado, o olhar maravilhado
e a boca purificada para anunciar o Ressuscitado.
Andamos obesos de ruídos e de imagens
que nos ocupam o coração e adormecem a razão.
Nesta voragem do tempo, não há lugar para o monte,
porque a rotina gosta dos vales, viadutos e rotundas.
A urgência do “para-já” que se acumula e se sonha,
incomoda-se com o silêncio que espera, a escuta que medita,
a voz que fala no meio da nuvem da fé,
o amor que nos espera e nos abraça pecadores
e nos diz: “acolhe a misericórdia e não voltes a pecar!”
Quaresma é a ousadia de parar e subir para escutar Jesus!
Pai amante, louvado sejas porque Te entregaste no Filho,
para nos libertar do círculo de morte em que nos enleamos.
Jesus, Filho amado do Pai a anunciar-nos a boa nova do Reino,
encarnando irmão nosso e oferecendo-se como cordeiro,
obrigado por tanto amor que nos faz subir contigo.
Dá-nos o dom de respondermos ao teu convite
de escalarmos o monte da oração e de te vermos transfigurado
na meditação da Palavra que ilumina a descida renovados.
Pe. José Augusto

Comentários

Comentários