Endireitem-se os caminhos tortuosos…; e toda a criatura verá a salvação de Deus’. (cf. Lc 3,1-6)
O mundo vai caminhando como se Deus não existisse,
mas Deus dirige-se a João, filho de Zacarias, no deserto.
É um apelo à conversão, a deixarmos os caminhos tortuosos,
com que complicamos a vida e nos perdemos nas trevas.
Escondidos na mentira e na vergonha culpabilizante,
tentamos justificar a injustiça e o ressentimento,
em vez de, com humildade, nos reconhecermos pecadores
e acolhermos Deus que vem salvar-nos com a sua misericórdia!
Os caminhos tortuosos impedem-nos de ver a salvação de Deus
e de sentir o coração do próximo que nos bate à porta!
Devido aos caminhos tortuosos da mentira e da injustiça,
aumentam os mecanismos de controle da intimidade individual:
gravação de chamadas, intercessão de correio eletrónico,
câmaras de vigilância, análises das redes sociais…
Apesar disso, os caminhos tortuosos do terrorismo,
da corrupção, da lavagem de dinheiro, da fuga aos impostos,
do adultério, do aborto, da venda de armas e de droga…
continuam a prosperar durante a noite
e nas ruelas labirínticas da marginalidade.
O pecado gosta de se esconder em caminhos tortuosos,
mas Deus vê tudo e quer libertar-nos duma vida de mentira!
Senhor, Pai do amor simples, transparente e verdadeiro,
ajuda-nos a entrar no caminho iluminado e justo
que Jesus, teu Filho, nos ensinou e viveu!
Espírito de verdade e de santidade acessível e eterna,
vem sobre nós e dá-nos a coragem de ousarmos a conversão,
de dirigir-nos ao sacramento da penitência
e de sairmos deste labirinto enleante,
que nos esconde e nos perde a caminhar sem rumo!
Que S. João Batista nos ajude a endireitar os caminhos
e a não esconder e complicar, com medo de sermos apanhados!

Comentários

Comentários