Quem poderá encontrar uma mulher de valor? (cf. Prov 31, 10-13.19-20.30-31)
Deus criou-nos homem e mulher, na alegria da comunhão.
Cria-nos um a um, com o amor de filho único
e a ternura de uma mãe que se torna dom no seu lar.
A mulher está chamada a ser sacramento deste amor divino,
criativo, pedagógico, perseverante, cuidador, compreensivo,
que louva o Senhor com as mãos com que dá banho ao seu filho,
reparte o pão nosso de cada dia e abraça o seu marido.
Uma mulher de fé e coração grande
sustenta a esperança e ajardina a vida de forma criativa.
Um dos sinais do tempos de hoje é a valorização da mulher.
Deixou de ser propriedade do marido ou da família,
para ser pessoa com igualdade de direitos e deveres.
Isto não impede que novos rebentos de escravatura floresçam:
o comércio sexual e o tráfico de seres humanos,
as dependências da moda e do consumismo,
a exploração laboral e a discriminação de género…
Homens e mulheres devemos estar vigilantes
para que o pecado não aborte o projeto de Deus.
Senhor, que nos entregaste todos os teus bens
para que os façamos render e multiplicar,
ajuda-nos a construir famílias fecundas e felizes
onde possa crescer a liberdade na caridade
e o louvor a Deus, Pai e Mãe de todas a coisas.
Cristo, que fizeste da Igreja, tua esposa amada,
dá-nos o dom da fidelidade e da comunhão fraterna.
Espírito de santidade, que a todos inspiras dignidade,
ensina-nos a sermos irmãos na complementaridade.
Maria, nossa Mãe, que bela és e nos fazes!
Pe. José Augusto

Comentários

Comentários