Enquanto diziam isto, Jesus apresentou-Se no meio deles e disse-lhes: «A paz esteja convosco». (cf. Lc 24,35-48)

O testemunho missionário dos discípulos de Emaús

cria condições para a manifestação de Jesus na comunidade.

Ele apresenta-se no meio deles como paz que inquieta.

Cria um misto de espanto e de medo, de alegria e de admiração,

de dúvida e de confiança, que os põe à busca do mistério.

A cada um Jesus se revela diferente e nos envolve na sua Páscoa,

por meio da escuta, da memória, de celebração e de missão,

pois o testemunho gera abertura à ressurreição de Cristo em nós.

A Eucaristia termina com um envio missionário:

“Ide em paz e que o Senhor vos acompanhe!”.

Levamos Cristo e a sua paz e isso deve manifestar-se

na alegria da fé, no entusiasmo da partilha,

na fidelidade orante, no perdão misericordioso,

na palavra que ilumina as trevas com a correção fraterna,

na caridade que se faz visita e hospitalidade,

na evangelização que se faz testemunho no quotidiano.

Sem o testemunho missionário durante a semana,

o domingo seguinte fica sem o laço da continuidade.

Senhor Jesus, que cada dia nos surpreendes

com o vislumbre da tua presença,

abre os olhos do nosso coração à fé na tua ressurreição.

Envia-nos o teu Espírito e faz de cada Eucaristia

uma experiência nova e renovadora da Igreja.

E quando a Eucaristia terminar, ensina-nos a continua-la

na família e na comunidade em que a mesa nos reúne,

na empresa ou escola em que construímos um mundo diferente,

no lazer e no voluntariado em que a ação nos repousa.

Pe. José Augusto

3º Domingo da Páscoa
3º Domingo da Páscoa

Comentários

Comentários