Fortalecei os vossos corações, porque a vinda do Senhor está próxima. (cf. Tg 5,7-10)

 
O tempo de Deus é eternidade
e a alegria do Céu é reunir a todos num banquete de família.
Deus é paciente, numa azafama grávida de esperança.
Ele quer conquistar-nos o coração e libertar-nos dos coágulos
que nos entopem a vida e nos paralisam o amor.
Ele quer curar a cegueira que nos impede de vê-Lo presente,
a surdez que nos distrai de escutar a Sua voz,
a mudez que nos perturba o diálogo com Ele e com os outros.
Deus vem permanentemente
até que um dia O deixemos permanecer para sempre.
 
A nossa religiosidade é feita de pastilhas de fervor:
uma missa no Domingo, uma vela, uma oração na aflição,
uma peregrinação a um santuário, uma confissão de desobriga…
e o resto do tempo é todo nosso, para trabalhar e gozar,
centrado em nós, nas nossas necessidades, nos ginásios do corpo…
É uma fé e uma caridade de concessões fragmentadas,
mas que lhe falta a totalidade de uma entrega permanente por amor.
 
Senhor Jesus, expressão do amor fiel e filial,
fortalece os nossos corações cansados e inconstantes,
e fideliza todos os recantos rebeldes do nosso ser.
Apressa em nós o acolhimento do Teu Advento,
para que toda a nossa vida seja busca inquieta e desperta
dum Amor que nos procura incessantemente.
Faz de nós precursores que preparam caminhos de fé
a quem anda distraído e perdido do Eterno presente.
Pe. José Augusto Leitão

Comentários

Comentários