3º Domingo do Tempo Comum

Cristo não me enviou para batizar, mas para anunciar o Evangelho.(cf. 1 Cor 1,10-13.17)

Jesus é a Luz da salvação que brilha na Galileia dos Gentios.
É uma Luz que se propaga por contágio e atração,
por isso, Jesus começa desde logo a chamar discípulos
para fazer deles tochas, alimentadas pelo mesmo Espírito,
e os enviar a levar a mesma Luz a toda a criatura.
Quando se cala a Voz que prepara os caminhos do Senhor,
inicia a Voz dAquele que estava para vir e era desde sempre.
Os passos do Filho de Deus surpreendem-nos a bater-nos à porta
e a convidar-nos a altear os umbrais da nossa conversão.
 
Na administração dos sacramentos há pessoas que se distraem
com pormenores de vanglória e divisão:
querem ser batizados ou receber a 1ª comunhão só do padre tal;
só querem casar, se for naquela capela tão gira e romântica;
só vão à missa se for tal padre, bispo ou Papa a presidir;
sonham ser ordenados sacerdotes pelo Papa ou tal bispo…
Cristo não será sempre a mesma Luz de salvação,
independentemente do ministro ou do lugar onde é administrado?
S. Paulo até diz que a sabedoria e a fama do evangelizador
acaba por ser um ruído que pode desvirtuar da cruz de Cristo.
 
Senhor Jesus, Luz peregrina e Palavra de salvação,
que continuas viva e gratuita a bater-nos à porta,
faz de nós fachos ardentes com anseios de partilha e doação
para que a Tua boa nova encontre em nós
parceiros fieis da Tua Missão evangelizadora e salvadora.
Cura-nos das divisões e vanglórias que desvirtuam a Tua Cruz.

Pe. José Augusto Leitão

Foto: Sé da Guarda a 31 de março de 2013

Comentários

Comentários