44ª PEREGRINAÇÃO FRANCISCANA A FÁTIMA
“ COM ELES USEI DE MISERICÓRDIA”

S. Francisco – Testamento

Decorreu no primeiro fim-de-semana de Outubro em Fátima, o Encontro da Família Franciscana, com um programa pré-estabelecido. De todas as zonas do País ali chegaram muitos membros franciscanos. Aldeia de Joanes há muitos anos que marca presença, graças à iniciativa e organização de Higino Serra da Cruz. Este ano, com um autocarro e paragens na Sertã e em Coimbra, visitaram-se alguns espaços turísticos e históricos.
Individualmente foi entregue a cada peregrino um guia com programa – horário, inserindo uma pequena história de S. Francisco de Assis e avisos importantes.
O Cartaz da Peregrinação ilustrava uma porta aberta para todos entrarmos e encontrarmos o Deus da Misericórdia, os degraus para entrarmos e um refugiado – um estrangeiro, o qual deve ser acolhido com gestos de partilha.
No recinto do santuário de Fátima quisemos ouvir alguns dos muitos peregrinos que ali se deslocaram em peregrinação, procurando saber as motivações, as razões da sua presença.
Virgínia Maria Costa Martins, natural de Aldeia de Joanes, a residir em Aldeia Nova do Cabo:

“todos os anos venho a esta Peregrinação Franciscana. Faço esta viagem pela muita fé que tenho em Nossa Senhora de Fátima. Enquanto tiver saúde venho sempre.”

João Pedro Dias Morais representante da Juventude Franciscana Portuguesa de Lisboa:

“este dia é muito importante para o nosso movimento. É o primeiro Encontro que vai dar início ao nosso Ano Letivo, cujo tema é “ Maria nos Caminhos de S. Francisco de Assis”.

Pedro Martins da Silva, Franciscano Secular de Lisboa:

“para adoração a Maria, venerar e seguir o espírito de Francisco”.

Frei Márcio Rodrigues dos Frades Menores Capuchinhos do Ameal (Porto), natural de Angola:

“vim a Fátima com olhares de peregrino filho e servo de Maria. Quero glorificar S. Francisco, Pai dos pobres, que nos convida para que o Evangelho seja o nosso modo de vida”.

Francisca Ascensão Salvado Roldão, Fundão:

”venho todos os anos e aproveito para cumprir promessas e também gosto da organização porque está bem elaborada.”

Frei Carlos de Lisboa:

“vim acompanhar um Grupo da Ordem Terceira de Lisboa, Fraternidade da Luz, e quanto às motivações de aqui estar é só olhar para mim.” Como o hábito não faz o monge, lá estava a ter atitudes altruístas para com algumas idosas.
Benjamim Almeida, de Gondomar: “ As nossas motivações começam por reuniões mensais na nossa Comunidade. No fundo é viver o Evangelho”.

Irene Martins de Castro, de Gondomar:

Sou franciscana e tenho uma grande devoção para com S. Francisco, pelo seu sentido de humildade, de fraternidade e lealdade à Igreja. Esta Peregrinação é um Encontro Fraterno de Irmãos, que vivem o espírito franciscano que é a vivência evangélica.”

Aventino Alves Gusmão, natural de Timor:

“ é uma Peregrinação Franciscana de grande dimensão em que sentimos a mensagem de Francisco de Assis”.

Germana da Conceição Monteiro Gomes, da Fraternidade de Ovar:

“ franciscana há vinte e quatro anos e com cento e vinte membros na nossa comunidade, juntando-se os jovens da JUFRA (Juventude Franciscana), são razões evidentes para aqui estar.”

Frei Miguel Moutinho, Franciscano Capuchinho de Barcelos:

“em termos institucionais, venho para cumprir um programa. Por detrás deste cumprimento, desta ação peregrina, está a vontade enorme de seguir Jesus Cristo e, à semelhança de S. Francisco de Assis, celebrar o mundo com simplicidade, com a natureza e como irmãos.”

No espírito desta Peregrinação, recordo uma passagem da mensagem do Papa Francisco para o 90º Dia Mundial das Missões, que decorre no próximo 23 de Outubro: “os missionários sabem, por experiência, que o Evangelho do perdão e da misericórdia pode levar alegria, reconciliação, justiça e paz.”
No final da Eucaristia, na Basílica da Santíssima Trindade, cantou-se:

“vem, S. Francisco, vem outra vez, trazer aos homens a paz e o amor”.

António Alves Fernandes
Aldeia de Joanes
Outubro/2016

Comentários

Comentários