4º Domingo da Páscoa – Dia de Oração pelas vocações consagradas

Agora somos filhos de Deus e ainda não se manifestou o que havemos de ser. (cf 1 Jo 3,1-2)

É o amor de Deus que, de criaturas, faz de nós filhos!
Deus fez-se criatura no Filho,
para que o Bom Pastor conduzisse a humanidade a Deus!
Deu-nos a sua vida, ofereceu-a livremente
para reintroduzir na humanidade a dinâmica do dom!
A todos chama à salvação, a todos chama a colaborar com Ele,
cada um à sua maneira, mas segundo o mesmo Espírito.
A filiação divina manifesta-se e cresce pela santidade, 
pela resposta vocacional e pela fidelidade missionária!

A filiação divina, recebida no Batismo,
é uma semente em processo de crescimento!
Vai crescendo em nós, na medida em que acolhemos a graça,
arrancamos as ervas daninhas da tentação,
podamos os rebentos bravios da vaidade e do egoísmo,
regamos a filiação divina com a Palavra e os sacramentos,
e damos frutos de santidade, de caridade e evangelização.
A vida em Cristo é um enxerto que, ou se torna o ramo principal,
ou fica afogado pelos rebentos bravios da velha vida!

Senhor, Bom Pastor, que dás a vida por mim e por todos,
abre-nos à dinâmica duma vida em oferta, à Tua imagem!
Obrigado porque me chamaste a ser bom pastor
dos irmãos que vou encontrando pelo caminho!
Viver como “fonte” nem sempre é fácil,
pois dá a impressão que só damos e nos esgotamos, mas, na verdade, 
ser “fonte” é fazer a experiência de tudo receber para tudo dar!
Ajuda-nos a manifestar a filiação divina, que já recriaste em nós,
discernindo o que em nós é projeto de fruto
daquilo que é apenas folhagem inútil e distração!
Que muitos possam responder ao chamamento
de consagrar a sua vida, vivendo como filhos de Deus em Jesus!

Pe. José Augusto

Comentários

Comentários