Outrora vós éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor. (cf. Ef 5,8-14)
 
O Sol de Justiça enviou-nos a Luz a caminhar connosco.
As trevas do mal e a cegueira da confusão
têm agora uma mão de fogo, que ilumina a aurora da esperança.
Pelo Batismo podemos começar de novo,
iluminados pela Luz de Cristo que nos recria filhos da luz.
Os frutos desta luz batismal são o Círio pascal a iluminar a vida,
a bondade vestida de avental, a justiça servida como pão,
a verdade de mãos dadas com a caridade.
 
A globalização do conhecimento revelou a complexidade da vida.
Isto incomoda, porque exige opções, diálogo com o contraditório.
Para simplificar os contrastes, eletrifica-se a noite,
escurece-se o dia com persianas e óculos de sol,
reduz-se o ângulo de visão com viseiras ideológicas
veiculadas pela comunicação social, a cultura, a especialização…
Para que não haja tempo para refletir e discernir,
põe-se as pessoas a correr sem parar,
torturam-nas com vigílias de diversão que não as deixam descansar,
ocupam-lhes todos os intervalos com hobbies de embalar.
O resultado são seres humanos adormecidos, acríticos,
virtualizados, divididos, cansados, associais, robotizados…
 
Senhor Jesus, Luz sem ocaso e candeia da eternidade,
desperta-nos das trevas do nosso pecado que nos cegam a fé
e cura-nos das rotinas que nos limitam a capacidade de amar.
Faz da nossa vida um Círio de esperança que ilumina o mundo
e o desperta para a bondade, a justiça e a verdade na caridade.
Reacende a fecundidade do nosso Batismo em sociedade
para que sejamos os mesmos na Igreja e no lar,
à luz do dia e no segredo da noite, na saúde e na doença…

Pe. José Augusto Leitão

Comentários

Comentários