Tendo entrado onde ela estava. (cf. Lc 1,26-38)

Deus é aquele que vem ao nosso encontro,

entra onde nós estamos, vive dentro de nós

e fecunda a nossa vida com a força do seu Espírito!

Saber-se surpreender e acolher o anjo do Senhor,

aprender a dialogar numa comunicação sintonizada,

saber dizer sim, oferecendo a Deus a nossa vontade,

é a janela luminosa que se abre na periférica Nazaré da Galileia.

Em Maria desponta a aurora nova que todos ansiamos!

Deus bate-nos à porta, cada manhã, como suave brisa.

Muitos jamais tiveram a coragem de lhe abrir a porta

e de conhecer o rosto daquele que lhe diz que o ama.

Uns pensam que é um fantasma e fogem dele.

Outros preferem não O escutar, ensurdecendo com ruídos

ou dizem-lhe que não têm vagar, atarefados com as suas coisas.

Outros entreabrem a porta para lhe entregar a carta de desejos.

Poucos são como Maria que O deixam entrar,

surpreendendo-se com a graça do seu olhar,

O deixam agir e a sua vida lavar e fecundar.

Senhor, mendigo que oferece amor à solidão fria, vem a nós,

perfuma a nossa vida com o calor da tua misericórdia.

Aumenta a nossa fé e confiança para que possas em nós criar

a casa grande e generosa onde todos tenham lugar e possam habitar.

Fecunda a nossa vida com a força criadora da tua Palavra

para que o presépio que construímos com as nossas mãos

Tu o possas em nós modelar e os outros em nós o possam contemplar.

Pe. José Augusto

 

Comentários

Comentários