Não convém que deixemos de pregar a palavra de Deus, para servirmos às mesas(cf. At 6,1-7)
A Igreja é a Pedra viva de Cristo, animada pelo Espírito,
que faz de cada cristão pedras vivas em comunhão,
onde a diferença de dons é um bem comum.
A missão da Igreja é evangelizar, perdoar os pecados
servir a caridade, orar e celebrar a liturgia sacramental.
É missão da Igreja, como corpo, e não apenas de alguns.
Um sacerdote preside à vida da comunidade,
mas não deve monopolizar os ministérios e carismas.
Há ministérios e carismas que os leigos podem e devem exercer,
para que todos se sintam responsáveis pela missão da Igreja.
A clericalização da Igreja, aliada à falta de vocações sacerdotais,
está a deixar a Igreja doente e infiel!
Uma comunidade que se reune para rezar e escutar a Palavra,
animada por um/a leigo/a, bem preparado/a e cheio/a de fé,
já está a construir comunhão, a alimentar a fé,
a evangelizar e a catequizar, a orar e a receber Cristo,
a organizar-se para o serviço da caridade aos que mais necessitam.
Se uma comunidade não abre a Igreja porque não tem sacerdote,
cada um fica na sua casa, perde-se o sentido de Igreja,
a fé fica anémica, os não-cristãos não são evangelizados
e a indiferença instala-se e eclipsa a caridade e a solidariedade.
Senhor Jesus, Caminho, Verdade e Vida divina,
faz de nós Teus discípulos, comprometidos com a Tua missão.
Cura-nos da murmuração que divide e nos desresponsabiliza,
e ajuda-nos a fazer de cada dificuldade e desafio uma oportunidade
para escutar a voz do Espírito e nos convertermos em pedras vivas.
Dá-nos um coração novo, onde palpite o amor pela Igreja,
a fidelidade a Cristo e a fraternidade na fé.
Pe. José Augusto

Comentários

Comentários