5º Domingo da Quaresma

Se alguém não tem o Espírito de Cristo, não Lhe pertence. (cf. Rom 8,8-11)

Deus é a Vida e do seu coração nasce um rio que vivifica.
O Rio que vivifica é Cristo, o Sol que ilumina é o Espírito.
Ambos brotam do mesmo coração e conduzem à mesma fonte,
para que a morte não seja dominante nem as trevas da noite luz.
Acolher Cristo vivo e ser batizado no seu Espírito
é nascer de novo, com um novo olhar, um novo sentir,
um novo falar, um novo sonhar, um novo coração!
Quaresma é tempo para olhar os frutos que damos
e verificar a Quem pertencemos e que lar promovemos!

No censo muitos se dizem católicos, cristãos, batizados.
Depois de declarada esta pertença, logo se sente a necessidade 
de adjetivar a identidade com “não praticante”,
“rezo mas não vou à missa”, 
“gosto de ir a Fátima mas não vou à paróquia”,
“admiro o papa Francisco, mas não aceito as leis da Igreja”…
“Pertencer a Cristo” é presente, não um ato isolado no pretérito!
Cristo vivo e atual é a Igreja em comunhão de irmãos,
é a Palavra a conduzir o caminho, 
é os sacramentos a alimentar e a curar esta vida nova,
é o testemunho a anunciar Cristo, ressurreição e vida!

Senhor, fonte e esperança de vida e de sentido,
que nos acenas liberdade para além das mortes,
aumenta a nossa fé e ajuda-nos a não desesperar no nosso pecado.
Cristo, ressurreição e vida, que vieste ao nosso encontro
para nos retirar dos nossos túmulos de solidão egoísta,
ensina-nos a andar na luz da verdade e do amor,
e a desacostumar-nos das trevas da noite do pecado.
Espírito Santo, luz que nos anima a viver como filhos de Deus,
dá-nos força para sairmos das rotinas enfaixadas que nos amarram,
para que aceitemos ser pertença de Cristo pelos frutos que damos.

 

Pe. José Augusto

Comentários

Comentários