5º Domingo do Tempo Comum

Não voltes as costas ao teu semelhante. Então a tua luz despontará como a aurora. (cf. Is 58,7-10)

Jesus é a luz da Luz que ilumina a história.
Nele Deus se toca com as mãos e o coração se ouve palpitar.
Nele o Pai é revelado no mistério da sua misericórdia
e a luz da sua Palavra ilumina quem anda errante e perdido.
Ele nos dá a sua Luz no fogo do Espírito
e nos envia a ser círios que iluminam o mundo,
com o nosso testemunho de caridade e de piedade.
O Batismo é uma iluminação que nos envolve na luz divina
e nos ajuda a não virar as costas ao nosso semelhante.

Quando pensamos que o cristão e a Igreja devem ser luz do mundo,
pensamos em projeção nos meios de comunicação social,
prestígio social e moral, êxito cultural, poder, número…
S. Paulo apresenta-se em Corinto com uma luz diferente:
como trabalhador, entre os mais pobres, sem linguagem elevada,
com a única segurança da fé em Jesus crucificado.
É um fermento novo que ilumina pelo testemunho de vida
e pela coerência entre a palavra e o agir.
Felizmente há muita gente anónima que ilumina silenciosamente
e aponta para a Luz, consumindo-se para dar à luz a vida.
É aquela caridade que não faz ruído, mas faz bem;
que não cria incêndios destrutivos e mortíferos,
mas aquece a panela e a solidão, e ilumina o caminho do irmão.

Senhor, nossa luz e salvação, 
obrigado porque nos despertas para a esperança.
Cristo, luz das nações e farol dos náufragos,
ilumina-nos com a tua Palavra e o teu Espírito,
para que em Ti encontremos o amor
que nos faz ver o irmão e pulsar com o seu coração.
Renova-nos na luz do nosso Batismo e da Eucaristia,
para que vendo as nossas boas obras,
todos glorifiquem o Pai de Jesus, nosso Senhor!

Pe. José Augusto

Comentários

Comentários