5º Domingo do Tempo Comum

Então a tua luz despontará como a aurora e as tuas feridas não tardarão a sarar. (cf. Is 58,7-10)

 
Deus é a Luz do amor que brilha, gerando vida.
É uma Luz amiga que apoia o fragilizado, cura o doente,
revela a força dos humildes, gemina corações isolados.
É à luz desta Luz que vemos a Luz da caridade
a gemer por ouvidos fraternos, nos esconderijos da vergonha.
Todos clamam pelo “pão nosso de cada dia” e Deus no-lo dá,
só precisamos de o distribuir com justiça
para que o gemido se faça festa e a mesa ilumine a fraternidade.
 
Que luz é esta que o mundo precisa hoje?
O planeta Terra, à noite, está estrelado de luz elétrica,
mas apesar de tanta luz, há pessoas que continuam invisíveis.
A luz do cristão não brilha pela sabedoria que se impõe,
nem pela força que arrasa e condena, em condomínio fechado,
mas pelo coração que vê e ama o necessitado,
pela fé que acredita e nos faz ser Jesus,
e ver Jesus e ama-lo no irmão desconhecido e marginalizado.
 
Senhor Jesus, vinde a nós e sede a Luz do mundo,
necessitado do calor da caridade e do sabor da esperança.
Alimenta a nossa fé com a força do Teu Espírito
e gemina as nossas almas em solidariedade global,
para que a partilha seja maior do que as lixeiras do desperdício.
Cura-nos do egoísmo e do medo do outro
para que, sem curto-circuitos nem picos de corrente,
possamos ser lâmpada que transmite a luz da Tua caridade. 
Pe. José Augusto Duarte Leitão

Comentários

Comentários