75ºCONVÍVIO DE ANTIGOS BANCÁRIOS

No ano de 2002, um grupo de bancários, depois de uma tertúlia gastronómica na Quinta da Raivosa em Penamacor, propriedade do Toscana, resolveu continuar a encontrar-se de dois em dois meses em local a combinar. Ponto assente é que em Abril de cada ano o convívio bancário regressa à Casa Mãe – a Quinta da Raivosa-, junto a Castela, oportunidade para “recuerdos”.

Uma vintena de comensais bancários assentam arraiais na Quinta da Amontada, propriedade do André, no sopé de Unhais da Serra, uma paisagem escurecida por incêndios criminosos.

Antes da leitura da acta nº 74, são lembrados os que já faleceram e todos aqueles que por diversos motivos não compareceram. Salienta-se a solicitude do companheiro Fernandes dos Santos e da sua dedicada esposa, que disponibilizaram a sua residência, presenteando uma saborosa caldeira de borrego bem regada pelas suas bebidas caseiras. Sem pretensões lucrativas, diz a acta que o saldo positivo se cifra em 744€40. Verifica-se que estamos perante ex-bancários organizados que não esquecem a importante transparência dos números.

Num ambiente acolhedor, contrastando com o frio exterior de gelar os ossos, não faltam as couves e o delicioso bacalhau com puro azeite virgem da Cova da Beira, tudo na boa companhia do vinho da Adega do Fundão.

No intervalo, já aguardando a ceia recheada de leitão e bolo-rei (soberano ao meu paladar), o ex-bancário, pintor e escritor José Domingues, natural das Aranhas, brinda-nos com os seus versos: “Estamos na Quinta da Amontada/Em Dezembro a conviver/Em Unhais localizada/E o bacalhau foi o comer./ Almoçámos muito bem/E o comer foi divinal/Bacalhau com couves também/Nesta quadra de Natal!”

Lançam-se logo ideias para a agenda de 2018: o primeiro encontro será em Fevereiro na casa do João nos Escalos (Castelo Branco), o segundo na Casa Mãe, o terceiro na Quinta da Eireira (em princípio uma sardinhada), o quarto em Janeiro de Cima e, finalmente em Dezembro, o regresso à Quinta do André em Unhais da Serra.

Antes da Ceia, segue-se um campeonato de anedotas, donde saem como grandes vencedores o José Domingues e o Canário.

O Presidente da Assembleia Geral, também satisfeito do bolo-rei e do champanhe, regozija-se por mais este evento, que já conta com 75 convívios, realçando o trabalho da Direcção e de cada um em particular e dando as Boas Festas a todos os presentes.

A noite avança e damos todos abraços de despedida, fazendo votos para que o próximo ano seja melhor que este. Com este bonito encontro, Dezembro ganha mais um dia a não esquecer.

António Alves Fernandes

Aldeia de Joanes

Dezembro/2017

Comentários

Comentários