7º Domingo da Páscoa – Ascenção do Senhor

Foi elevado ao Céu e sentou-Se à direita de Deus. (cf. Mc 16,15-20)

Jesus é a encarnação da divindade a nascer homem novo

e a elevação da humanidade à condição da filiação divina.

A nuvem do mistério esconde-O antes e depois da encarnação,

mas a glória do seu coração palpita amor eternamente.

Em Cristo, já temos todos a Cabeça recostada na do Pai

e, pelo seu Espírito, cresce em nós pés de evangelizador.

A Igreja torna-se Maria a gerar novos filhos de Deus, no Filho,

testemunhando a Palavra e continuando a missão de a todos elevar.

As Nações Unidas definiram oito objetivos de desenvolvimento.

Estes são fundamentais pois nos elevam da pobreza,

do analfabetismo, da descriminação, da morte infantil e materna,

das doenças mortais e endémicas, dos desequilíbrios ambientais

e do egoísmo que deixa os mais fracos para trás.

Mas o verdadeiro desenvolvimento é a cristificação da humanidade,

que nos ensina a olhar para lá das nuvens,

a ver no outro um irmão, a tomar a iniciativa de amar gratuitamente.

A verdadeira globalização não é feita pelos meios de comunicação,

nem por leis que nos obrigam a respeitar o outro diferente,

mas por um olhar novo e um coração novo que fraterniza a relação.

Pai de bondade, que para todos preparaste um lugar ao teu lado

e, por isso, enviaste o teu Filho a ser porta e caminho do céu,

envia-nos o teu Espírito para que curemos a cegueira onde vagueamos

e colaboremos na festa da nossa salvação em Cristo.

Faz de nós membros vivos e ativos do Corpo de Cristo,

com o coração sempre ao lado da Trindade

e os pés e as mãos sempre a falar do verdadeiro desenvolvimento.

Eleva-nos, Senhor, da rotina da máquina de trabalho,

dos ideais de consumo idolátrico e do prazer egoísta,

das muralhas do medo e dos planos mortíferos.

Com Maria, ensina-nos a correr para anunciar boas-novas.

Pe. José Augusto

7º Domingo da Páscoa – Ascenção do Senhor

7º Domingo da Páscoa – Ascenção do Senhor

Comentários

Comentários