9º Domingo do Tempo Comum

Não mereço que entres em minha casa, nem me julguei digno de ir ter contigo. (Cf. Lc 7,1-10)
Jesus é a única Palavra que cria, cura e salva!
Toma a iniciativa de vir ao nosso encontro,
acompanhar-nos nos percursos sinuosos da nossa vida,
bate à nossa porta como um pedinte-amante,
entra, ajuda a limpar a casa e permanece connosco!
Nós não somos dignos de ir ter com Ele,
nem merecemos que Ele entre em nossa casa,
mas se acolhermos a sua Palavra com fé,
a sua graça envolve-nos com o seu amor, perdão e salvação!
A Eucaristia é mistério de fé que ora, celebra, escuta, acolhe,
comunga e anuncia a grandeza da tão grande Hóspede divino!
O mistério do pecado afasta-nos de Deus,
porque nos sentimos indignos,
temos consciência que não merecemos estar com Ele!
Esta má consciência leva-nos a evitar a proximidade de Deus,
a andar escondidos, envergonhados e ocupados,
procurando evadir-nos de tudo o que nos pode confrontar
com a verdade que somos,
mas também desconfiados da palavra misericordiosa de Jesus!
É talvez por isso, que os jovens se afastam da Igreja,
os escrupulosos duvidam da misericórdia da Deus,
os dependentes desistem de procurar cura e libertação…
A indignidade leva-nos a preferir acreditar que Deus não existe!
Senhor, louvado sejas pelo teu coração aberto a todos,
que Te faz especialista em recuperar e acolher os pecadores!
Eu sei que sou indigno de Te receber e de Te celebrar,
de estar em comunhão conTigo e por Ti ser habitado,
mas porque o teu amor misericordioso suplanta a minha miséria,
eu Te agradeço e Te louvo, com humildade a gratidão Te acolho!
Na fraqueza aumenta a minha fé na tua fidelidade,
para que só em Ti encontre o perdão e paz, a alegria e a salvação!
Liberta quem tem medo de Ti ou desiste de si,
para que a tua Palavra seja ouvida e o teu Corpo seja recebido,
como fonte de vida e sol que ilumina a esperança!
Pe. José Augusto
9º Domingo do Tempo Comum

9º Domingo do Tempo Comum

Comentários

Comentários