Ao observar as cores do arco-íris, ou a mistura de duas cores diferentes, vemos que o envolvente e aquilo que criamos tem uma cor determinada. Esta transmite-nos realidades e sentimentos.

A cor verde remete-nos, cada vez mais, para a ecologia: a natureza na sua origem, criada por Deus. Esta exige ser defendida de todo e qualquer atentado do Homem.

Não é estranho que também a liturgia, use a simbologia das cores, para que a ação para-litúrgica e litúrgica seja percetível e entranhada de modo verdadeiro, pelas culturas, pelos povos, nas suas gentes. O verde é então símbolo das plantas e das árvores que crescem e do anúncio da esperança na vida eterna.

O “tempo comum”, é celebrado durante 34 semanas. O seu nome surge não em oposição aos “tempos fortes da liturgia”, mas antes porque não ocorrem neste tempo os mistérios particulares do Senhor, como na Páscoa e no Natal.

Não é um tempo secundário ou monótono, mas sim um tempo, em que fora das festas ou solenidades, somos convidados a viver em comunidade a extraordinária presença de Cristo nos atos quotidianos, sabendo que também aqui, Cristo nos acompanha e anima.

Desejo que este ano de 2012 seja um caminho percorrido com Cristo pois só n’Ele podemos encontrar a
paz, deslumbrar a esperança e alcançar a felicidade.

Hugo Martins – Padre in: Voz do Alva a 25 de Janeiro de 2012

Comentários

Comentários