ALDEIA DE JOANES – CNE – AGRUPAMENTO 1335 – EM FESTA DE CRESCIMENTO

Há seis anos, a 30 de Maio de 2009, nasceu de um parto muito difícil o Agrupamento do CNE de Aldeia de Joanes.
Esta data vai coincidir com o Peditório do Banco Alimentar e a Celebração do Dia Diocesano, iniciativas com grande incidência escutista. Não sendo possível celebrar essa efeméride na data devida, a realização das Promessas de novos elementos foi antecipada para o dia 9 de Maio. Na véspera, depois da recitação do terço do mês mariano (graças aos Escuteiros e Famílias a participação quadruplicou), realizou-se na Igreja Matriz a velada de armas, ato preparatório das Promessas, que incluiu um fogo de conselho.

Na tarde de 9 de Maio, na Catedral da Natureza – Parque do Convento-, nas fraldas da Serra da Gardunha, já espreitando o vermelho das cerejas, decorreu a Cerimónias das Promessas. As vozes escutistas foram acompanhadas pelas diversas de aves que saltavam nos ramos das árvores. A natureza é um belo local de encontro com Deus.
Fomos ouvir os Pais, de alguns dos cinquenta elementos que constituem o Agrupamento 1335 de Aldeia de Joanes, principalmente as motivações de os inscreverem neste Movimento Juvenil.

António Nunes – Aldeia de Joanes – Pai de duas filhas escuteiras – uma faz a promessa de lobita. “São poucas as oportunidades que as nossas crianças têm para fazer convívio e aprendizagem, o Escutismo é uma escola cada vez mais útil para a formação dos nossos filhos. Muito mais poderia dizer sobre o Escutismo, mas já disse o importante.”
Célia Antunes Marques – Aldeia de Joanes, “ ter dois filhos no Escutismo é para mim, Mãe, um grande orgulho. Nesta escola escutista eles crescem e ficam mais maduros. Tenho um filho hiperativo e o escutismo fez-lhe tirar o medo e ajudou-o a ser mais independente. Tenho um filho caminheiro -Jorge Miguel Marques Esteves-, que vai a todas as atividades, representando Aldeia de Joanes. Já teve a tentação de desistir, mas seguiu em frente com o apoio de caminheiros e dirigentes da Região. Sonha ser um futuro dirigente.”

Marta Dias – Aldeia de Joanes, “ tenho duas filhas, uma exploradora, outra no grupo das lobitas. O Movimento é muito importante na sociedade em que vivemos. No Escutismo convive-se com todos, pequenos e grandes, pobres e ricos. É uma grande escola de socialização.”

Patrícia Santos de Alpedrinha, casada com um jovem de Aldeia de Joanes, com um filho e uma filha no Agrupamento, “ Estão no Escutismo para terem mais responsabilidades e crescerem com as dificuldades que vão aparecendo no seu dia-a-dia, nada a ver com o ficar em casa.”

Jorge Manuel Lindeza Amaral – Fundão, com três filhas no Agrupamento de Aldeia de Aldeia de Joanes, uma lobita, uma exploradora, uma pioneira, “ fui escuteiro transmiti-lhe os ideais escutistas e neste ambiente familiar em que estão inseridas escolheram este caminho para uma formação mais global e integral.”
Sérgio Paulo Ribeiro Martins – Aldeia de Joanes, uma filha a fazer a promessa de lobita, “ com a influência de uma cunhada escuteira e uma prima, entusiasmaram-na para se inscrever no Agrupamento. No escutismo existe a transmissão de valores de companheirismo, de relação com os outros e com a natureza. É importante estar inserida num movimento juvenil católico.”

Susana Sousa – Aldeia de Joanes, um filho explorador, “ fundamentalmente é conviver com outos jovens, saber partilhar, numa sociedade em que esta palavra está esquecida. Quem é escuteiro vê a vida de uma forma diferente.”
Uma Mãe Escuteira – Fundão, “ tenho um filho no Escutismo por valores humanos, fraternos, respeito pala natureza, saber estar em grupo e respeitar os outros, fazer o bem sem saber a quem.”

Fizeram as Promessas, cinco lobitos, seis exploradores, quatro pioneiros e uma caminheira. Fomos ouvir uma menina que acabou de ser lobita, Matilde Matias Esperanço, “ recebi o lenço amarelo, cor do sol e gosto de ser escuteira porque gosto de estar com os amigos e aprender com eles a brincar juntos.”

Mafalda Maria Monteiro Moreira, promessa de caminheira, “ é um final de uma etapa e o princípio de outra, que é muito importante, o caminho de dirigente. Espero chegar a dirigente e transmitir as vivências escutistas apreendidas”.

Para terminar, ouvimos o Chede de Agrupamento Nuno Rocha: “ o Agrupamento 1335 de Aldeia de Joanes tem vindo a crescer e graças às novas instalações que nos permitem fazer mais e melhor. Estas Promessas são sinal de crescimento.”

No próximo ano esperamos que esta Cerimónia decorra em Aldeia de Joanes, há muitos locais próprios para estas atividades, com ainda maior participação da Comunidade e presença de um dirigente da Junta Regional da Guarda.
Parabéns a todos os elementos e familiares do Agrupamento 1335 de Aldeia de Jones, desejando-lhe longa vida e muitos êxitos escutistas.

António Alves Fernandes
Aldeia de Joanes
Maio/2015

ALDEIA DE JOANES – CNE – AGRUPAMENTO 1335 – EM FESTA DE CRESCIMENTO

ALDEIA DE JOANES – CNE – AGRUPAMENTO 1335 – EM FESTA DE CRESCIMENTO

Comentários

Comentários