ALDEIA DE JOANES – ENCONTRO DAS FAMÍLIAS BERNARDO – LAMBELHO

Depois de um pequeno intervalo após três convívios (em casa de Natália Bernardo na Aldeia Nova do Cabo, na moradia de João António Lambelho e na quinta de Maria Manuela Marques Bernardo Fernandes em Aldeia de Joanes), Maria Natália Campos e António Valente organizaram e dinamizaram o quarto encontro, que se concretizou a 2 de Maio. Num louvável trabalho histórico, José Adelino Lambelho subiu à Torre do Tombo, conseguindo descobrir antecedentes familiares até ao século XVII. A ele se deve a árvore genealógica afixada na sala do convívio.

Também apresentou a porta de casa dos avós, sempre aberta aos afetos e pronta a socorrer algum necessitado com os mimos que reconfortam o estômago.

Este encontro assentou fundamentalmente em três grandes dimensões. A primeira foi na Mesa da Eucaristia, na Igreja Matriz de Aldeia de Joanes, espaço onde se realizaram batizados, casamentos e despedidas para a última morada de quase todos os nossos familiares e amigos. Ao som da música, ficámos a saber que estávamos ali “para louvar, agradecer, bendizer e adorar: estamos aqui, Senhor, ao teu dispor”.

Em breves e significativas palavras, o Padre celebrante Casimiro Mendes Serra salientou que se estava a prestar uma homenagem às raízes de uma família muito antiga e, simultaneamente, à Instituição Familiar: “As pessoas têm perdido os contatos mais próximos com a família, por isso se tornam muitas vezes mais mesquinhas, pequeninas e egoístas. Estes encontros, estas iniciativas, ajudam a ter mais tolerância uns para com os outros (…) Os elementos desta Família têm através dos tempos dado muito a esta comunidade paroquial e a esta Freguesia”. Também o Bispo da Diocese da Guarda – D. Manuel Felício-, se associou a este Encontro Familiar, enviando a seguinte mensagem: “ agradeço o convite que me foi endereçado para participar nesta reunião de família….Como sabemos, a família é a célula base da sociedade, e nenhum corpo pode resistir à desagregação das suas células. Já que a agenda me não permite partilhar convosco este acontecimento de festa, peço para todos vós a bênção de Deus, qual Pai que se sente feliz por ver os seus filhos reunidos em convívio e em confraternização.”

A segunda dimensão foi o almoço realizado na Casa da Eira – Peroviseu-, que proporcionou conhecimento, conversas, troca de ideias, saberes, experiências e momentos de humor.

A terceira dimensão foi a bela tarde musical proporcionada por Jerónimo Mateus, natural de Valverde, e por Marta Ramos de Aldeia da Ponte (Sabugal).

Cerca de cem pessoas, unidas pelas raízes familiares e vindas de várias partes do País, estiveram presentes neste quarto encontro.

Nada melhor do que ouvir alguns intervenientes sobre as suas motivações.

Rui Miguel Nogueira Machado de 48 anos, Consultor/Auditor – Lisboa

“Participar nesta Festa Familiar é proporcionar à minha Mãe, Lurdes Roxo Nogueira, uma grande alegria.”

Rui Miguel de Campos Soares Marques, 46 anos, Diretor da Sport TV Portugal – Lisboa

“ Conhecer, recordar, voltar a ver toda uma Família, que é o melhor que temos na vida.”

Ana Isabel Lambelho Costa, 36 anos, Professora de Ensino Politécnico de Vieira de Leiria

“Vim para conhecer a família da minha Mãe e, essencialmente, para fazer uma homenagem ao meu avô, Jerónimo Bernardo Lambelho.”

Elsa Margarida Bernardo Campos, 39 anos, Gerente Bancária, Costa da Caparica

“ Porque é que estou aqui, hoje? Pois bem, estar em Família, conhecer pessoas que fazem parte das minhas bases e com quem não estou todos os dias ou outras que não conhecia. É um orgulho fazer parte de uma Família como esta!”

Miguel Ângelo Rodrigues Lambelho de 19 anos, Estudante do Técnico – Lisboa

“Porque estou aqui? Quer queiramos, quer não, quer o façamos conscientemente ou não, é natural que devido às naturais diligências das vidas de todos nós, a reunião de todos os nossos familiares não seja tão frequente, como seria o nosso desejo. É de louvar encontros como este, pois a real felicidade só se atinge com aqueles que mais gostamos.”

Rodrigo Monteiro Lambelho Proença, 17 anos, Estudante – Fundão

“Este encontro é importante porque vim aqui conhecer familiares que nunca tinha visto. Além disso, é uma maneira da nossa Família Bernardo-Lambelho se encontrar mais unida.”

Mário Tiago Bernardo Fernandes, 30 anos, Lisboa

“ Oportunidade para rever familiares e amigos, aproveitando para conhecer os novos rebentos de uma árvore com raízes profundas. ”

Alexandra Fernandes de 26 anos, unicultora, Fundão

“Vim conhecer uma parte importante da Família do meu marido, Família que ele próprio não conhecia. Portanto, estar presente num dia tão importante para ele, é também uma honra para mim, pois as nossas raízes são as nossas bases e as relações familiares são dos maiores pilares do ser humano. Vim também conviver com os que já conhecia e com aqueles que hoje conheci.”

Rodrigo Brito, 34 anos, Engº Telecomunicações na Nokia, Lisboa

“É com muito gosto que revejo muitos dos meus primos e amigos. Que a Família se reúna por muitos anos.”

João Carlos Ramos, de 53 anos, Técnico Comercial, Braga

“Vim com a Inês, Joana e Matilde e uns amigos para partilhar esta satisfação. A vida levou-me a estar fora de Aldeia de Joanes e aprendi com a atual Família a dar maior valor às minhas raízes. Por isso esta festa familiar foi muito importante para reviver as relações de muitos anos. Bem-haja à Natália, ao Tó Manuel e aos que com eles organizaram este convívio. Para o ano há mais.”

Francisco Brito, de 26 anos, Engenheiro da Nós, Lisboa

“Estou aqui com muito prazer a festejar a melhor dádiva da vida, A FAMÍLIA!”

Rui Ramos, de 55 anos, empresário, Cabo Verde

“ Juntar cinco gerações numa comemoração familiar é um desígnio de poucos e não podia deixar de me associar. Revi primos que ensinei a andar de bicicleta na minha infância. Há que usufruir do trabalho da Natália e do António Valente, a quem saúdo de uma forma especial. Manter estes elos familiares é uma “ GRAÇA”, que não tem preço e comprometo-me a participar enquanto Deus me der vida e saúde. Manter o registo é uma obrigação de todos, cuja memória futura ficará mais rica com estes festejos.”

Antes do canto de Parabéns a dois familiares, Manuel Joaquim Lambelho Ramos ainda cantou “a Mula da Cooperativa”, letra e música do cantor madeirense Max.

Com uma maior riqueza de afetos, conhecimentos e recordações, todos partiram com saudades do próximo encontro.

António Alves Fernandes

Aldeia de Joanes

Maio/2015

ALDEIA DE JOANES – ENCONTRO DAS FAMÍLIAS BERNARDO – LAMBELHO

ALDEIA DE JOANES – ENCONTRO DAS FAMÍLIAS BERNARDO – LAMBELHO

Comentários

Comentários