ALDEIA DE JOANES – HOMENAGEM A UM AUTARCA

Vive numa casa antiga situada na Rua da Igreja em Aldeia de Joanes, que há muitos anos atrás era a residência “ oficial “ dos Párocos desta aldeia conjuntamente com Aldeia Nova do Cabo. Estes não viviam nas periferias, mas nas proximidades das paróquias, viviam no meio do povo, estavam juntos da Comunidade Cristã, sendo o último residente o Padre Salvado. A sua casa era de Maria Emília Faia Trigueiros Martel Cruz, que inicialmente alugou e mais tarde comprou, e nas horas extra das atividades profissionais recuperou, equipou com mobiliário da sua autoria.

Nasceu de uma família de seis irmãos, filho de Álvaro Luís Sampaio de profissão sapateiro, e de Conceição Ferreira Godinho, doméstica.

Nas oficinas da Firma António Salvado da Silva andou dois anos a aprender a profissão de serralheiro, que por motivo de acidente foi obrigado a interromper.

Virou-se para a aprendizagem de carpinteiro na Quinta das Tílias – Aldeia de Joanes, com o mestre José Proença Martins, mais conhecido por Zé Alberto. Com esta aprendizagem, esteve nos trabalhos do Cinema Gardunha, com o patrão António Afonso Coelho Dantas e na antiga Praça do Fundão.

Durante trinta e três anos na Firma Serração e Imóveis do Fundão, uma sociedade de sócios – Alberto Gavinhos, João de Sousa, João Antunes de Calvário entre outros. A sua dedicação ao trabalho de carpintaria custou-lhe dois dedos na mão direita: “ um drama que me marcou para toda a vida.”

Saído da Firma Móveis do Fundão foi trabalhar durante doze anos na Instituição Social – APDCM do Fundão, onde administrou formação profissional a jovens: “ tive mais dificuldades em aturar e lidar com os da escola exterior, do que com os alunos daquela Instituição. Sempre que lá vou, sou acarinhado por todos aqueles jovens que comigo lidaram.”

No campo cívico-religioso há a destacar as diversas vezes que se empenhou nas mordomias na Festa Anual em honra de Nossa Senhora do Amparo em Aldeia de Joanes, e em diversos cargos nos órgãos sociais da secular Irmandade de São Vicente e Almas.

Iniciou-se na vida política ainda antes do 25 de Abril como secretário da Junta de Freguesia de Aldeia de Joanes, sendo Presidente Manuel Bernardo Campos e Tesoureiro José Gregório Sousa, missão que desempenharam gratuitamente.

No pós-25 de Abril e extintas as direções das juntas de freguesia, foi nomeada uma Comissão Administrativa composta pelos seguintes elementos: Manuel Joaquim Lambelho Ramos, António Manuel Salvado e João Fernandes Nogueira.

Nas eleições democráticas de 1976, a lista de Aldeia de Joanes do Partido Socialista foi encabeçada por Alberto Ferreira Sampaio, seguindo-se João Fernandes Nogueira, José Manuel Ribeiro Bernardino, José Francisco das Neves Salgueiro, Joaquim de Jesus Gadanho e Maria da Conceição Sousa Roxo.

Alberto Ferreira Sampaio foi o primeiro cidadão de Aldeia de Joanes a ser eleito democraticamente no pós-25 de Abri, mandato que inicia em 1976 até 1980. “ Não foi um mandato fácil, sucederam-se muitas peripécias políticas.”

Durante o mandato autárquico as obras mais significativas limitaram-se ao Largo 25 de Abril, Largo do Alto do Chafariz, o Terraço e Arrecadação, junto à Capela de Nossa Senhora do Amparo.

Não está arrependido de ter sido Presidente da Junta de Freguesia de Aldeia de Joanes, porque procurou estar sempre ao serviço das populações da sua aldeia. Não é missão fácil, porque por mais esforços, não se consegue agradar a todos, há sempre gente descontente.

Gostaria de ter feito as obras de abastecimento de água domiciliária e saneamento básico, só concluídas no terceiro mandato, sendo Presidente Joaquim Rodrigues da Glória, mais conhecido por “ Senhor Costa.” Também a Iluminação da Rede Pública da ligação Aldeia de Joanes – Fundão, só foi conseguida no segundo mandato, sendo Presidente António Simão Ramos.

Olha com saudades para o passado e tem poucas esperanças no presente e futuro de Aldeia de Joanes. Antes havia pessoas com orgulho e bairrismo na sua aldeia, havia lideres, hoje onde estão?

 Deve-se a estes autarcas que durante estes quarenta anos exerceram o poder local, que hoje somos o que somos, temos povoações com qualidade de vida.

 No dia do Concelho do Fundão foram homenageados os primeiros presidentes de junta de freguesia pós -25 de Abril, com a medalha de ouro da cidade, festejando os quarenta anos do poder autarca.

Alberto Ferreira Sampaio, ex-Presidente da Junta de Freguesia de Aldeia de Joanes, foi agraciado com essa justa distinção, na esperança que o seu exemplo seja inspiração e motivação para que os melhores das nossas comunidades se disponham a bem servi-las.

António Alves Fernandes

Aldeia de Joanes

Junho/2016

priest

Comentários

Comentários