O Agrupamento 1335, do Corpo Nacional dos Escutas de Aldeia de Joanes, vai fazer cinco anos em Maio, está em crescimento, no ciclo etário a necessitar de muito amor e carinho. Vai comemorar o seu 5º Aniversário na data oficializada da sua filiação no CNE, e, em que os primeiros escuteiros fizeram as suas Promessas.

Começou instalado no forro da Casa Paroquial, junto à Igreja Matriz, sem as mínimas condições de habitabilidade, de organização e com a segurança física em risco.

Era um espaço partilhado por outros movimentos da Igreja Paroquial: Catequese, Cáritas, Equipa Litúrgica. Esta coabitação nunca dá bons frutos em qualquer parte do mundo. A minha experiência é indicadora de que são mais os aspectos negativos do que os positivos. Agravam-se quando as instâncias superiores e os dirigentes-assistentes não gostam dos jovens com a farda escutista, não tendo sensibilidade para o maior movimento juvenil de Portugal, com milhões espalhados no mundo.

Se uma lâmpada fica acesa, se uma porta ou janela não fica bem fechada, se uma torneira está todo o ano a verter água, mas ninguém repara, os escuteiros são um óptimo bode expiratório – “é o Agrupamento, não podia ter sido mais ninguém!”

Desde a primeira hora, e no sentido de encontrar um espaço, um território com dignidade, que os Escuteiros, os seus familiares e quem tem poder politico, não se pouparam a esforços para encontrar uma Sede que reunisse as condições ideais.Com empenho generoso e esclarecido, com o apoio autárquico, foram coroados de êxito, e lá surgiu ela, no Alto do Chafariz, junto à Estrada Nacional.

Quem chega ou sai de Aldeia de Joanes, não lhe passam despercebidas as novas Instalações Escutistas do Agrupamento local. Lá estão quatro vitrinas: a primeira indica-nos o emblema, o símbolo do Agrupamento 1335 de Aldeia de Joanes; a segunda, tem o logotipo do Movimento de Escuteiros Católicos; a terceira vitrina, o Símbolo Nacional do Corpo de Escutas; e a última contém quatro logotipos, que representam as quatro secções – os Lobitos, os Pioneiros, os Exploradores e os Caminheiros.

O Chefe Nuno Rocha, está radiante de alegria, por disporem de uma nova Sede, uma grande lufada de ar fresco que entrou no Movimento. Visitámo-las e admirámos o trabalho, a dedicação, o esforço e o amor à causa escutista, transformando e estruturando aquele longo espaço.

Á entrada, uma sala de visitas – a Sala dos Pais e dos Visitantes –, muito acolhedora, repleta de publicações escutistas, com televisão, uma máquina de café e um móvel que contém objetos oferecidos ao Agrupamento, a génese de um futuro museu do Agrupamento. Nas paredes vários posters do Fundador do Escutismo, Baden Powell.

Avança-se e, do lado esquerdo, vemos os cantinhos (Seções) dos Lobitos (são sete), os cantinhos dos Pioneiros (são dez) e na sua proximidade vicinal os Exploradores com quinze elementos. Também há espaço para os Caminheiros (um elemento).

Avança-se e mais à frente, estão a funcionar os serviços administrativos, um gabinete de dirigentes (seis) e uma sala de reuniões.

Faço, pois, um convite a quem me lê para visitar as instalações, a Sede dos Escuteiros de Aldeia de Joanes, que vai ser inaugurada no próximo dia 31 de Maio. Parte do sonho está concretizada, mas será completo o dia que se faça a escritura destas instalações, propriedade do CNE, que com esforço coletivo e participativo de todos, a utopia será uma realidade. Como diz o poeta, “ o sonho comanda a vida.”

À saída, e grato pela gentileza da Chefia, recordei que o melhor ensino é o exemplo. E olhei para as conclusões do congresso sob o tema “Escutismo: Educar para a vida no Seculo XXI”: “ a Educação concretiza-se e acontece no Agrupamento, porque é o núcleo central na metodologia escutista, mas também naturalmente, porque é aqui que estão os jovens. O Agrupamento, não é nem pode ser uma ilha, desligada do contexto em que está inserida, deve pelo contrário marcar e deixar-se marcar, enquanto comunidade aberta, ao consegui-lo concretizar-se-á como “COMUNIDADE EDUCATIVA LOCAL”. Ao pensar global e agir local, o Agrupamento está pois ao serviço das necessidades concretas do jovem e da comunidade.” (…) “A Igreja será em Portugal, largamente, aquilo que for o Movimento Escutista Católico porque irá marcar mais ou menos gerações, crianças e jovens de hoje, que serão os adultos de amanhã.” Este último especto, infelizmente, é capaz de esbarrar em muitos elementos da hierarquia eclesiástica, que não compreendem a importância da expansão do movimento escutista.

“ O CNE é hoje, e deve garantir que assim se mantém, uma COMUNIDADE CONFIÁVEL E CONFIANTE. CONFIÁVEL, porque é capaz de amar no serviço, de expressar misericórdia, de sorrir. CONFIANTE, porque confia em si própria, porque se mantém auto exigente e porque se mantém capaz de aprender.”

D. Manuel Clemente afirmou “ O futuro não existe, constrói-se e o Corpo Nacional de Escutas está a construí-lo.” O Agrupamento 1335 do CNE de Aldeia de Joanes, está nesse rumo, está na direção desse caminho, que deve contar com o apoio incondicional da comunidade local, dos poderes autárquicos e de freguesia, para bem da formação da nossa juventude.

António Alves Fernandes

Aldeia de Joanes

Março/2014

50000000

Comentários

Comentários