Centenário de Fátima I Testemunho de Alberto Coelho

Estive em Fátima, no 12 e 13 de maio, dois dias de muita emoção junto de Nossa Senhora Mãe dos Escutas, nossa Mãe, com o acréscimo de também estar presente o “nosso” Papa Francisco. Nestes dias foram as comemorações do centenário das aparições, aparições essas a três inocentes crianças no meio da natureza.

Fui em Peregrinação organizada pela Pastoral de Jovens da Arquidiocese de Braga, uns pertencentes a agrupamentos de escuteiros outros pertencentes a outros grupos pastorais.

Chegados a Fátima, com pouca confusão, o que foi um pouco estranho, pois já lá estavam milhares de pessoas, devia ser da hora +/-19h de sexta. Dirigimo-nos ao Santuário para marcar lugar, estava já muita gente, tentamos ir à Capelinha, mas sem sucesso, não conseguimos passar pois a quantidade de pessoas em volta era  imensa, voltamos a trás e fomos para o lado direito, aí conseguimos passar até mais ou menos a meio do recinto, ficamos aí aguardando a chegada do Papa para a recitação do Terço e procissão de velas.

Chegou o Papa…, Viva o Papa Francisco, foram os gritos ouvidos durante a chegada de Francisco, o Papa dirigiu-se para junto de Nossa Senhora e durante uns minutos orou em silêncio, e o Santuário inteiro rezou em silêncio com ele.

Seguiu-se a reza do terço em várias línguas pois estavam presentes mais de 55 países, a assim se mostrou união entre todos.

Depois do descanso, numa escola em Leiria, regressamos ao santuário, no sábado. Apesar de chegarmos relativamente cedo o Santuário estava repleto, ficamos junto á estátua de João Paulo II tivemos que acompanhar a Eucaristia pelo ecrá gigante. Momentos emotivos com a chegada do Andor de Nossa Senhora ao Altar exterior do Santuário, mas o momento alto da Celebração foi a Canonização de Francisco e Jacinta (declarados Santos) pelo Papa Francisco. Mais uma vez se fez silêncio no santuário, no momento de reflexão após a homilia do Santo Padre “…….Sob a proteção de Maria, sejamos, no mundo, sentinelas da madrugada que sabem contemplar o verdadeiro rosto de Jesus Salvador, aquele que brilha na Páscoa, e descobrir novamente o rosto jovem e belo da Igreja, que brilha quando é missionária, acolhedora, livre, fiel, pobre de meios e rica no amor.”

Depois da Eucaristia a sempre emotiva procissão do Adeus do Andor de Nossa Senhora, pelo ecrá gigante pude observar que também o santo padre sentiu a emoção desta partida. Já fora do recinto consegui um lugar junto ás grades de proteção e assim ver mais de perto o Santo Padre.

Regressei a casa de coração cheio, por ter participado neste acontecimento que tão cedo não esquecerei e recordarei com enoooooooooorme saudade e alegria.

 

Alberto Coelho

 

Comentários

Comentários