CNE: Formação

No meu percurso de 50 anos de Escutismo, 23 foram de Chefia Regional colocando em primeiro lugar, a preocupação, a preparação e formação dos futuros e atuais dirigentes do CNE.

Mais tarde, este objetivo num raio de participação, alargou-se aos jovens, que manifestaram o desejo de se formarem e prepararem para a vida escutista, social e cristã.

Muitos foram os que se mobilizaram para a formação e a mobilização em certos agrupamentos foi muito significativa.

Muitos dos dirigentes dos agrupamentos inseriram nos seus planos anuais, ações de formação a nível Regional e Nacional. Porém ainda há alguns agrupamentos que desconhecem a realização destas ações formativas, muito importantes para o crescimento do percurso escutista.

Seria bom e proveitoso que cada agrupamento em sintonia com a área Regional de formação se sentisse impelido para ações de formação.

Nestes 23 anos a área de formação Regional tentei sempre delinear anualmente um plano de formação consoante as necessidades dos agrupamentos regionais.

Nestes 23 anos muitos foram os formadores que estiveram envolvidos nos diversos projetos formativos.

 A formação foi sempre adequada às necessidades, interesses e gostos dos formandos.

A Junta Regional da Guarda do CNE continua a investir fortemente numa formação adequada e progressiva dos seus formandos, proporcionando-lhes o melhor que temos a nível Regional.

Tem sido positiva a aprendizagem que os formandos têm adquirido, sentindo-se assim, mais capacitados para o desenvolvimento das suas funções no agrupamento.

Atualmente a área regional de formação possui nos seus quadros, 4 diretores de formação e 5 formadores, para mobilizar e recrutar, conforme determina o Percurso Inicial de Formação (PIF). 

O Secretário Regional para os Recursos de Adultos, tem-se esquecido e desprezado aqueles elementos pertencentes aos Quadros de Formação do Movimento, optando por pessoas sem qualificação adequada, o que é um paradoxo, uma atitude inqualificável.

É uma área de formação ferida de irregularidades e ilegalidades, perante os Regulamentos e Estatuto do CNE (Corpo Nacional de Escutas).

Deixo o meu apelo aos agrupamentos para participarem ativamente na formação, numa estreita comunhão entre as iniciativas de âmbito formativo, a nível Regional como Nacional.

Trata-se, sem dúvida, de um ponto fulcral e importante para alimentarmos e crescermos na fé fortalecer o conhecimento dos valores, métodos e psicologia do Escutismo, gerando entusiasmo, alegria, comunhão e fomentar o desejo do compromisso e ação nos Agrupamentos.

António Duarte

Outubro/2016

(artigos da responsabilidade do autor)

8241896947_4423e552c5_z-1

Comentários

Comentários