Ao todo vão estar no Rio de Janeiro nove bispos portugueses e mais de 600 jovens de várias dioceses do país. O Papa Francisco parte para o Brasil na segunda-feira, onde vai ficar uma semana.

É muito positivo para os portugueses que a Jornada Mundial da Juventude aconteça este ano no Brasil, sobretudo por causa da língua, considera o Bispo da Guarda, que também está de partida para participar no encontro.

Não é a primeira vez que participa nas jornadas Mundiais da Juventude, mas é a primeira vez que D. Manuel Felício vai estar com o Papa Francisco. O Bispo da Guarda tem as melhores expectativas para as Jornadas Mundiais da Juventude.

“Estou com muita esperança para as palavras que ele vai dirigir, àquela multidão de jovens, que serão palavras certamente com grande significado, não só para os jovens como para toda a Igreja”, considera.

O facto de as Jornadas Mundiais da Juventude se realizarem no Brasil, constitui uma mais-valia para os portugueses, considera D. Manuel Felício: “É um mundo de expressão lusófona, o que para nós é uma mais-valia. A facilidade de comunicação nestes ambientes é sempre um dado muito positivo para estabelecer esses contactos e estas relações, que é aquilo que vai qualificar certamente mais esta Jornada Mundial da Juventude.”

Da diocese da Guarda, participam na Jornada Mundial da Juventude, três padres, cinco leigos e o prelado diocesano.

Ao todo vão estar no Rio de Janeiro nove bispos portugueses e mais de 600 jovens de várias dioceses do país.

O Papa Francisco parte para o Brasil na segunda-feira, onde vai ficar uma semana. Ontem Francisco foi de surpresa à basílica de Santa Maria Maior para rezar pelos jovens de todo o mundo com quem se vai encontrar no Rio de Janeiro.

Renascença acompanha em directo a chegada do Papa ao Brasil, bem como os principais momentos da sua participação nas jornadas. As transmissões podem ser acompanhadas na rádio e também, em vídeo, no site da Renascença.

Fonte. R.R.

Comentários

Comentários