Domingo da Epifania

Ide informar-vos cuidadosamente acerca do Menino; e, quando O encontrardes, avisai-me. (cf. Mt 2,1-12)

Deus envia o seu Filho, nascido de uma mulher, Maria!
Ela vive em Nazaré, mas dá à luz em Belém!
Não é fácil encontrar o Messias nesta surpresa imprevisível,
nesta aventura que só quem perscruta as estrelas vê!
Mas a intuição de uma estrela nova precisa de ser iluminada
pela Palavra que se conserva em Jerusalém
e confirma o sentimento religioso de quem busca o Messias
e se põe a caminho, não para conhecer novidades,
mas para O encontrar, adorar e oferecer presentes!
Epifania é acessibilidade de Deus a todos os que O procuram
de coração sincero, reta intenção e escuta interreligosa!
Hoje como no tempo de Herodes, os pais enviam os filhos à catequese
e dizem-lhes: “ide informar-vos cuidadosamente acerca do Menino,
e quando O encontrardes, avisai-me, para que também eu vá adora-Lo!”
Outros, vivem um ateísmo militante e dizem aos filhos:
“não ides à catequese nem podeis informar-vos sobre esse Menino,
pois eu não acredito e também não quero que vós acrediteis!”
Outros, animados pela estrela da fé, dizem aos filhos:
“vamos adorar o Menino e aprofundar o conhecimento sobre Jesus,
para que possais encontra-lO no vosso caminho
e entregar-vos totalmente à construção duma sociedade nova e justa!”
Epifania é um dom de Deus que se revela aos homens,
mas é também uma busca do Salvador, guiada pela Palavra de Deus!
Senhor, misericórdia oferecida e revelada a todos os povos,
desperta-nos para a fé e faz de nós peregrinos da luz!
Louvado sejas pela ação do Espírito Santo em nós
e em todos os que de coração sincero Te procuram!
Liberta-nos da mera curiosidade de informações sobre religião
e põe-nos a caminho, em diálogo interreligioso e ecuménico,
para que a experiência do encontro contigo nos leve
a prostrar, a adorar, a oferecer-vos o melhor de nós
e a voltar por outro caminho de conversão e de vida nova!
Neste dia da Infância Missionária faz das nossas crianças
agentes de renovação de fé nas famílias e entre os colegas! 
Pe. José Augusto

Comentários

Comentários