Maria e José levaram Jesus a Jerusalém, para O apresentarem ao Senhor. (cf. Lc 2,22-40)
O Verbo Divino desce da família divina
para nascer numa família sagrada e consagrada a Deus.
Vivem segundo a aliança, na presença do Senhor,
por isso, trazem no coração os caminhos do santuário
e nas entranhas os mandamentos do Altíssimo.
É uma comunhão de vidas, simples na aparência
e zelosas na oração e no trabalho,
que criam na terra o colo para o Deus-Menino crescer.
Vivemos tempos novos com sinais de vida e de morte.
Vemos casais, abertos à fecundidade e à fé,
em que os dois tratam responsavelmente dos seus filhos
e os ajudam a crescer em estatura, em sabedoria e em graça.
Há outros casais em que o trabalho ou a realização pessoal,
criam pais ausentes ou lares monoparentais,
sem paciência para colo nem tempo para cuidar.
Há ainda casais divorciados e recasados,
com filhos de várias barrigas, numa convivência insegura,
onde todos se sentem em estágio familiar, por tempo incerto.
Deus Trindade, comunhão de amor de pessoas divinas,
c.
Cristo, que escolheste viver em família simples e rica de valores,
envia o teu Espírito sobre os nossos casais
e ajuda-os a ser fecundos e a viver no amor, no diálogo e no perdão.
Abençoa as nossas famílias e aviva nelas a fé,
para que haja lugar para Ti e se respire a Tua presença,
na oração, na escuta da palavra, no discernimento,
na justiça, na educação, no trabalho e no lazer.
Pe. José Augusto
(Foto de arquivo: Presépio em Oliveira do Hospital)

Comentários

Comentários