Os apóstolos Pedro, Tiago e João foram mesmo uns privilegiados: Jesus escolheu-os para O acompanharem na subida ao monte e serem testemunhas da sua transfiguração. Nesse mesmo cenário e contexto, viram Moisés e Elias a conversar com Jesus, e ouviram a voz do próprio Deus! Tudo parece acontecer em função dos três apóstolos. Jesus “transfigurou-se diante deles”, o que dá a entender que eles são a razão de ser e os destinatários de tal acontecimento. Do mesmo modo, Moisés e Elias “apareceram-lhes”. E Deus também se dirige directamente a eles, pedindo-lhes: “escutai-O”. A transfiguração de Jesus, a aparição de Moisés e Elias e a manifestação de Deus têm um mesmo objectivo: fortalecer a fé dos apóstolos, de modo a perseverarem na fidelidade a Jesus, mesmo quando tiverem de enfrentar o embate da Sua paixão e morte.
“Transfigurou-se diante deles”. Sendo difícil descrever o corpo glorioso de Jesus, evangelista refere apenas os reflexos da transfiguração nas suas vestes. Estas adquirem uma brancura resplandecente inigualável e inexcedível. Se as vestes reflectem uma luz e brancura tão impressionantes e extraordinárias, como não terá sido intensa e deslumbrante a luz que irradiava do corpo de Jesus transfigurado! A luz e o branco são elementos que apontam para a ressurreição de Jesus e evidenciam a Sua divindade.
“Apareceram-lhes Moisés e Elias”. Moisés e Elias representam o Antigo Testamento, o tempo das promessas e anúncios messiânicos, o passado da história de Israel e da revelação de Deus. Jesus glorioso, na medida em que remete para a Sua ressurreição, antecipa o futuro e a plenitude da salvação. Naquele momento e naquela visão, concentra-se toda a história da salvação e os três apóstolos podem ter uma percepção única da mesma.
“Escutai-O”. Deus intervém para revelar aos apóstolos que Jesus, Aquele que os escolheu e eles seguem como discípulos, é o seu Filho muito amado, e consequentemente, é absolutamente credível tudo quanto Ele ensina. Os apóstolos devem, por conseguinte, escutar, tomar a sério e acreditar em tudo o que Jesus diz. Escutar sempre e tudo, tendo presente que Jesus fala e comunica, revela e ensina não só com as palavras, mas também com os gestos e as obras.
Escutar sempre e tudo, quer quando o conteúdo é agradável quer quando exige mudanças profundas nas suas vidas. Escutar Jesus e aceitar o que Ele diz, quando conta belas parábolas sobre o Reino de Deus, dialoga com as pessoas e se mostra sensível aos seus problemas e sofrimentos, cura os doentes e perdoa os pecadores. E também quando fala da Sua paixão, quando enumera as exigências inerentes ao ser discípulo ou anuncia os perigos e as perseguições que vão encontrar na sua missão de apóstolos, quando denuncia e censura as ambições e discórdias que surgem entre eles, quando lhes pede que se identifiquem com Ele e partam pelo mundo a proclamar o Evangelho a toda a criatura.
“Escutai-O”. Quando escutamos um texto do Evangelho nas celebrações litúrgicas ou o lemos pessoalmente em privado, Jesus fala connosco, dirige-se a cada um de nós. Jesus vem ao nosso encontro e conversa connosco porque nos ama e deseja fortalecer a nossa amizade e comunhão com Ele. Ao escutá-l’O, a nossa principal preocupação não deve ser a de saber o que Jesus disse e ensinou aos homens e mulheres de há dois mil anos, mas sim o que nos quer dizer a nós, a proposta de vida que tem para nos fazer. Isto exige que, depois de escutarmos a Sua palavra, a saboreemos e meditemos no nosso coração, de modo a captar e a assimilar a mensagem e a vida de Deus que ela encerra.
Quem fala, espera uma resposta. A nossa resposta a Jesus deve traduzir-se na oração e no pôr em prática a palavra. Através da leitura do evangelho, é Jesus que nos fala. Na oração, somos nós que, fazendo eco do que nos disse, falamos com Ele. Depois, devemos viver a palavra, tendo em conta as suas exigências humanas, espirituais e morais. E devemos vivê-la ao nível da nossa vida pessoal, familiar, profissional e social. Se a palavra se tornar vida em nós, a nossa vida tornar-se-á numa voz credível da palavra. Então, através da nossa vida, Jesus poderá falar aos homens de hoje e estes poderão escutá-l’O no hoje das suas vidas!

Comentários

Comentários