Irmãos: Vós sois edifício de Deus. (cf. 1 Cor 3,9c-11.16-17)

Deus habita onde o amor se faz hospitalidade
e o egoísmo deixa que o Outro seja e edifique a comunhão.
O Espírito de Deus purifica e alteia as portas da esperança
para que Cristo possa moldar pedras vivas do grande Templo,
sem tempo nem lugar, onde todos serão tudo em Cristo.
Os templos de pedra, construídos e consagrados pelos homens,
são o sinal e o lugar de encontro dos templos singulares e pessoais,
reunidos para alimentar a comunhão e a unidade de um só Templo,
em louvor polifónico que alegra o coração de Deus.
Necessitamos dos templos físicos para sermos edificados por Deus.
É na casa da Igreja que faço memória de como devo construir a Igreja.
Por isso, o edifício da igreja deve ser simples e belo,
acolhedor e recolhedor, aberto e concentrado em Deus.
Tudo deve convidar ao louvor, à meditação e adoração,
à escuta e oferta de si, à fraternidade e à partilha.
Na festa da Dedicação da Basílica de Latrão, a igreja do Papa,
louvamos a comunhão de Igrejas com o seu pastor
e professamos a fé na Igreja una, santa, apostólica e católica.
Senhor, que nos envolveis com o manto do vosso amor,
purificai o nosso coração e os nossos lábios
para consagrarmos o profano em que gastamos o tempo.
Cristo, Corpo sagrado onde todos encontramos lugar
como membros vivos no Espírito Santo,
liberta-nos dos entulhos com que ocupamos a vida,
para que possas entrar, ter lugar e gostar de habitar
este feto que ainda está a aprender a ser filho da santidade.
Congrega-nos habitualmente num mesmo lugar de louvor
para que façamos memória da vocação à fraternidade e à santidade. 
Pe. José Augusto

Comentários

Comentários