Habemus Papam Emeritum

Este Sábado estava, como todos os Sábados, na missa semanal -aquela que nos envia renovados e com uma missão para a semana que começa- quando caio realmente na realidade: a Igreja está sem Papa.

Durante a eucaristia, o sacerdote, quase de um modo automático pediu pelo Papa Bento XVI… e logo de seguida, antes de pedir pelo nosso Bispo, fez um momento de silêncio – é que, de facto, a Igreja está sem Papa, que choque…

Que estranho ficarmos em choque e só cairmos na realidade agora, não é?

É que pelos meios de Comunicação Social assistimos ao anúncio da resignação, à semana que se seguiu, à Audiência Geral, à chegada a Castel Gandolfo e à última e aliviada saudação do Santo Padre. Mas então onde falhámos? Nós não a vivemos realmente! Não saboreámos cada palavra deste grande Homem na decisão que agitou mundo inteiro.

Pois é… É que muitas vezes nós vivemos e nem sentimos realmente o que estamos a viver; estes últimos momentos que nós, como Igreja, vivemos foram tão importantes e tão fortes, mas vividos com tanto barulho!

“Papa Bento XVI resignou” que notícia esta que abalou o Mundo! Que Homem fantástico este, que resigna ao poder dando um precioso exemplo para os governantes, os responsáveis por países, os políticos de todo o Mundo, para os nossos em particular… O futuro é incerto, como tal deve ser discernido, pensado, rezado,… Saber lidar com o poder é também ter esta humildade de assumir que somos capazes de nos despojarmos dele.

Palavras sábias as do Santo Padre: “Estive muito com Ele, rezei muito esta decisão, e de consciência não me sinto capaz para continuar a guiar a Igreja.” É tão importante ter esta humildade…

Que Homem sábio que a Igreja ganhou! Um Homem que resigna por querer tanto bem à Igreja, que tem receio de já não ser capaz de corresponder.

Estamos no Ano da Fé! Ano lançado pelo Papa por desejar reforçar a fé em Deus, pois vivemos num contexto que parece colocá-la cada vez mais de lado. Que acto de fé o deste homem, que em pleno Ano da Fé, resigna ao lugar máximo da Igreja, com a certeza de que “Deus guia a sua Igreja; sempre a sustenta, mesmo e sobretudo nos momentos difíceis. No nosso coração, habite sempre a certeza de que o Senhor está ao nosso lado, não nos abandona, está perto de nós e nos envolve com o seu amor.”(in Audiência Geral, Papa Bento XVI)

Que riqueza que este Papa é para a Igreja!

Ao terminar este dia, fecho os olhos e deixo que o silêncio me envolva, e com ele a presença do Senhor.

Agora, consigo ter também a mesma certeza deste Homem de Fé: “Não abandono a cruz, estou de uma forma renovada junto do Senhor cruxificado.”

Obrigada Bento XVI.

Francisca Castelo-Branco

Comentários

Comentários