Liga dos Servos de Jesus – Tomada de posse do novo Conselho Geral

 

Enquanto tentava encontrar algum consolo para o meu desconsolo foram estas as passagens do Evangelho que mais ecoaram dentro de mim:

 

“Eu estou no meio de vós como aquele que serve!”. (Lc 22, 27)

“Sem Mim nada podeis fazer” (Jo. 15.5)

“Porque tendes medo? Não tendes fé?” (Mt. 8. 26)

 

É com este espírito que quero dar início a esta missão, que eu não queria, mas onde a maioria de irmãs me colocou.

Não vou dizer muitas palavras, porque nem sei dize-las, vou apenas apontar algumas certezas que tenho e que poderão revelar um pouco a minha forma de agir nestes 4 anos.

            Tenho a certeza que:

            – Não faço milagres;

– Sozinha faria muito pouco ou nada; conto por isso com a ajuda de Deus e da Virgem Maria, com a intercessão do Senhor D. João, com a colaboração de toda a Liga e dos amigos.

            – Não me pouparei, se a saúde me não faltar, a trabalhos e sacrifícios sempre que esteja em causa o bem da Liga. E quando falo de bem da Liga é uma Liga na sua totalidade: são as irmãs, é a promoção vocacional, são os servos externos, é a beatificação do Senhor D. João, é o ISM,…sobre isto já me pronunciei na entrevista que dei ao Jornal “A Guarda” e não vou agora alongar-me nisso.

            Conheço bastante bem a realidade das comunidades e do ISM e por razões que todos sabemos, é visível que o panorama não é animador. Mas acredito que se dermos as mãos ainda vamos ultrapassar muitas barreiras.

Quero trabalhar numa abertura total com o assistente e com o conselho geral; Tudo quanto disser respeito à Liga e carecer de reflexão, de diálogo de tomada de decisões, será feito em conjunto, pedindo as luzes do Espirito Santo, na fidelidade às constituições e com o parecer de todos membros.

E termino já; apenas quero, em nome da Liga e em meu nome pessoal, agradecer ao Senhor Padre António Moiteiro, 7 anos, e à Ir. Adelaide 4+4+4 anos, de dedicação, trabalho, noites mal dormidas, desafios, tudo premiado ora com sorrisos ora com sofrimento mas sempre, com o objetivo de buscar o melhor e o bem da Liga e de cada irmã. Agradecer ainda à Ascensão por toda a colaboração e ajuda que deu nestes 4+4 anos e dizer aos três que eu conto convosco, a Liga conta convosco. Penso que o sentimento geral é que todas contamos com todos.        

Neste ano da fé, peçamos a Maria que com o seu exemplo, nos ensine a vivermos mais profundamente a nossa vida de fé, de união e de amor!

 

Guarda, 21 de outubro de 2012

Maria da Graça Afonso

Comentários

Comentários