Estimados irmãos e irmãs:

Saúdo-vos na alegria e na esperança de Nosso Senhor Jesus Cristo, que continuamente cuida de nós e nos acompanha em todas as circunstâncias.
Hoje escrevo-vos por causa da inesperada doença do vosso Pároco, que, sem que nada o fizesse prever, teve de dar entrada na Hospital e aí permaneceu internado durante algum tempo.
Por graça de Deus, está de regresso às suas actividades, embora, como é natural em circunstâncias como estas, tenha de haver um período de convalescença, em que o trabalho vai sendo retomado sem demasiada pressa.
Quero manifestar-vos a minha gratidão e do nosso Presbitério pelo acompanhamento que fizestes ao vosso Pároco durante o tempo de internamento no Hospital, quer visitando-o, quer procurando informações sobre o seu estado de saúde, quer sobretudo rezando por ele.
Fico-vos igualmente reconhecido pela compreensão que manifestastes sempre que teve de haver limitações nos serviços paroquiais, que a sua ausência relativamente prolongada com naturalidade impôs.
Desejo agora que, com a Graça de Deus e a saúde recuperada do vosso pároco, o Senhor continue a realizar as Suas maravilhas na vossa Paróquia e, por ela, no mundo em que nos encontramos.

Guarda e Paço Episcopal, 13 de Julho de 2011

+Manuel R. Felício, Bispo da Guarda

Comentários

Comentários