MULHERES DIRIGENTES NO ESCUTISMO

Admiro mulheres que são competentes, responsáveis, conhecedoras das suas funções e dirigentes. Abraçam os serviços como filhos.

A maior admiração vai para aquelas que num serviço voluntário e cívico, saem das suas casas, do conforto do sofá, e disponibilizam algum tempo para o benefício de outros, de muitos que precisam de novas aprendizagens. Irritam-me os “para-quedistas”, que caem nem ouvidos nem achados, que querem protorganismo, sem categoria para tal.

A Região de Setúbal foi a primeira a nível nacional a ter Escutismo Feminino. No final de experiências, as Chefes Edwiges e Alcina prepararam o primeiro grupo de jovens raparigas. Deram-lhe formação escutista, a fim de serem integradas no CNE (Corpo Nacional de Escutas).

Em Novembro de 1972, fizeram a Primeira Promessa de Escuteiras, formando a Patrulha Aranha.

Também a Região de Setúbal é pioneira na eleição da primeira Chefe Regional, Maria de Lurdes Penalva Fernandes Barral, durante dois mandatos, 1988-1995. Tempos difíceis, mas com grande conhecimento, empenho, dedicação, sempre de coluna firme, o Escutismo na Região de Setúbal cresceu, fortaleceu-se, é um movimento de jovens com muita credibilidade e aceitação.

Muitas mulheres passaram pelo Escutismo em Setúbal, mas quem esquece a Chefe Amélia de Jesus Oliveira, mulher franzina, uma “Madre Tereza de Calcutá,” com uma enorme estrutura moral, enorme na dávida aos outros, na sensibilidade e bondade, simplicidade, na sua forma de ensinar milhares de jovens escuteiros, que passaram pela sua “ALCATEIA”, durante sessenta anos?

Em Castelo Branco, a Professora de físico-química, a Chefe Fatuxa (Fátima), de tão precária saúde, deu também formação a jovens lobitos. Nos fogos de conselho, pegava na viola e ninguém lhe ficava indiferente, fossem escuteiros ou familiares. O Município de Castelo Branco, prestou-lhe homenagem, colocando o seu nome na toponímia albicastrense no Bairro do Cansado, para que fique na memória de todos e assim perpetuar a sua acção cívica e escutista.

Também na mesma cidade, a Chefe Filomena Vitório, Escuteira da AEP, Grupo 67, actualmente Diretora e Responsável pedagógica da APPACDM (ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE PAIS E AMIGOS DO CIDADÃO DEFICIENTE), é uma das melhores pedagogas que conheci, e da qual os meus filhos muitos beneficiaram.

Também há a Ana Rita Pequenão, a dirigente da Fraternidade Nuno Alvares do Núcleo do Fundão, o culminar de um curso superior de muitos anos de escutismo.

Muitas e muitas mulheres passaram e passam pelo Escutismo de Setúbal, que merecem a melhor das nossas felicitações. A sociedade deve estar-lhes agradecida…

Num mapa de vinte regiões escutistas, apenas Setúbal, Évora, Santarém, Vila Real, tiveram mulheres como dirigentes máximas do Escutismo Regional.

Chegou finalmente a Região da Guarda a eleger, pela primeira vez, uma mulher, com a legitimidade dos votos será Chefe Regional entre 2018 e 2021.

Chama-se Sandra Cristina Martins Bento Duarte, nasceu a 4 de dezembro de 1975, em São Pedro – Covilhã. Licenciada em Físico-química pela Universidade da Beira Interior, Professora do 3º Ciclo do Ensino Básico e Secundário, Curso de Formação Pedagógica de Formadores.

Tem um percurso escutista admirável. Em 1980, entrou para o Agrupamento nº20 da Covilhã e em maio de 2001 foi investida como Dirigente. É Chefe da Unidade I, II e III – Seções a nível local.

Secretária Regional do Projeto Educativo Regional, Membro do Departamento Nacional de Secção, a nível nacional.

Tem diversos Cursos, Curso de Iniciação Pedagógica, Complementar de Formação, de Programa Educativo e de Directores de Formação.

Na sua Cédula Escutista tem uma Medalha de Campo, 2ª Classe (Prata), e a Cruz de São Jorge, 3ª Classe(Prata.)

A equipa agora eleita da Região da Guarda, jovem, conhecedora, atenta, presente, com o apoio dos melhores, percorrerá caminhos inovadores, de renovação, de qualidade e de crescimento.

No dia 24 de junho, às 16H00, na Igreja de São Francisco na Covilhã, na cidade sede da Junta Regional da Guarda tomará posse a Junta Regional, Conselho Fiscal e Jurisdicional, do CNE da Guarda.

Pela primeira vez na Covilhã UMA MULHER, UMA ESCUTEIRA vai ser empossada como Chefe Regional.

Bom trabalho, escutista, boa sorte, a sorte protege os audazes; e sempre alerta para servir.

António Alves Fernandes

Aldeia de Joanes

Junho/2018

Comentários

Comentários