NÃO GOSTEI DE VER

Andei por aí a olhar

E não gostei do que vi

O amor é espezinhado

De vez em quando senti

O perdão bem calculado.

Rastejavam pelo chão

O carinho e a ternura

A alegria anda zangada

Ao humor falta brandura

E a bondade é desprezada.

Descobri gente com fome

De ternura-amor, sedentas

Comem ódio em vez de pão

Ficam duras, violentas

Sem capacidade de perdão.

Vi mergulhados no lodo

Velhos, jovens e crianças

Chorei fundo no meu ser

E nestas minhas andanças

Nada lhes pude fazer.

Avistei campos de luta

E muito rosto assustado

Não havia paz na terra

Olhei bem por todo o lado

Vi muitas lutas e guerra.

Irmã Gracinda

Pinhel – 2015

NÃO GOSTEI DE VER

NÃO GOSTEI DE VER

Comentários

Comentários