O HOMEM DOS SORRISOS

João Ribeiro faleceu em Maio de 2009 na cidade de Coimbra, para onde foi viver, mas o Fundão era a pátria dos seus regressos.

João Ribeiro, “o Joãozinho da Farmácia”, veio para o Fundão com catorze anos, proveniente de Sampaio de Dramaços (Oliveira do Hospital), graças aos conterrâneos Mário e Miguel da Silva, trabalhadores da construção civil e residentes em Aldeia de Joanes.

João Ribeiro foi trabalhar para a Farmácia Taborda, o que se prolongou por muitos anos. Graças à sua dedicação, a proprietária D. Salomé Taborda cedeu-lha por testamento.

Quem no Fundão não recorda o seu sorriso na face e os cabelos brancos como a neve da Serra da Estrela? Quem no Fundão não o recorda na Farmácia Taborda, aviando receitas médicas e transmitindo conselhos com uma voz pausada? Também aqueles que por ali passavam para enganar o tempo, iam ter com João Ribeiro para dois dedos de conversa, saber as novidades da cidade, as notícias locais; era uma espécie de agência de notícias, transmitidas sempre com sorrisos e simpatias.

Era naquele local de cruzamentos de vias rurais e comerciais, onde desagua a vida urbana, com um chafariz e um sinaleiro como testemunhas destes encontros.

A denominação de “Joãozinho da Farmácia”, como era tratado por todos os fundanenses com carinho, deve-se às suas qualidades de homem do sorriso, do bem e solidário.

Nos tempos livres dedicava-se à fotografia e a filmes de curta metragem com uma máquina de filmar de oito milímetros. Também pintou diversos quadros a óleo, o que possibilitou uma exposição de Pintura na Biblioteca Eugénio de Andrade no Fundão.

A sua grande obra, a mais importante, foi a Fundação de uma delegação da APPACDM (Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental), contra tudo e contra todos.

Observando fotografias dos anos noventa, uma imagem vale mais que mil palavras, ali está o “o Joãozinho da Farmácia” em cima de um tractor agrícola rodeado pelas crianças que tanto ajudou, em lições de PEDAGOGIA E DE AMOR.

Nas grandes esperas, nas filas de entrega da azeitona no Lagar do Fundão, ou nas artérias fundanenses, sempre que nos encontrávamos vinha sempre ao seu rosto sorrisos, conselhos, mas também preocupações pela instituição que fundou.

Em 9 de Junho de 2007 recebeu a Medalha de Mérito Municipal por se ter notabilizado no domínio das suas actividades e por obras realizadas ou desenvolvidas no campo social. Em tempos em que se vêem poucos sorrisos, em que nos cruzamos com pessoas que não respondem às saudações, que andam sempre com os olhos no chão, taciturnos, foi bom o poder municipal entregar a medalha merecida a um Homem que distribuía sorrisos.

Ao “Joãozinho da Farmácia” nunca lhe faltou tempo para sorrir nem para ser solidário.

Estes HOMENS fazem falta nas nossas comunidades.

António Alves Fernandes

Aldeia de Joanes

Novembro/2018

Comentários

Comentários