Sr. Cardeal D. José Saraiva Martins, Eminência
Sr. Núncio Apostólico D. Rino Passigato, Excª Reverendíssima
Exc.as Reverendíssimas Sr.s Arcebispos e Bispos
Reveendos Padres e diáconos
Irmãs e Irmãos em Nosso Senhor Jesus Cristo

Em nome da Diocese da Guarda, dou as boas vindas a quantos participam nesta Ordenação episcopal.
Saúdo particularmente Sua Eminência, Sr. Cardeal D. José Saraiva Martins, nosso conterrâneo e Prefeito Emérito da Congregação para a Causa dos Santos, e agradeço-lhe o serviço da presidência desta Ordenação Episcopal na nossa Sé, dedicada a Santa Maria Senhora da Assunção. Há 89 anos que nesta Sé não se realiza uma Ordenação Episcopal. A última aqui realizada foi a do Sr. D. João de Oliveira matos, que serviu esta Diocese da Guarda como Bispo Auxiliar, durante 40 anos e agora tem processo de beatificação-canonização.
Saudação especial desejo dirigir também a Sua Excª Reverendíssima o Sr. Núncio Apostólico, que aqui representa Sua Santidade o Papa Bento XVI, a quem, nesta hora de natural júbilo, desejamos testemunhar a nossa adesão filial na Fé.
Saúdo Sua Excª Reverendíssima o Sr. Arcebispo de Braga D. Jorge da Costa Ferreira ortiga, com quem o novo Bispo vai colaborar directamente como seu Auxiliar.
Ao Bispo que hoje é ordenado, D. António Manuel Moiteiro Ramos, a Diocese que o gerou para a Fé, que o acompanhou no seu discernimento vocacional e na preparação para o Ministério Sacerdotal e depois no exercício deste Ministério ao longo de vários anos, deseja testemunhar o propósito de lhe oferecer a sua contínua companhia espiritual, na oração e na comunhão da Igreja.
É esta também a hora de agradecer à sua família, particularmente aos seus pais, que, por graça de Deus, aqui estão presentes no meio de nós, o Sacerdote que ofereceram e oferecem à Igreja; e testemunhar aos seus muitos amigos , conterrâneos e colaboradores nas distintas tarefas pastorais que até agora lhe foram confiadas, o nosso apreço pelo inestimável bem para toda a Igreja que é a plenitude do sacramento da Ordem que hoje lhe vai ser conferida.
Que o Senhor Jesus Cristo seja louvado, porque mais do que nunca hoje é preciso que Ele reine nos nossos corações, na vida da Igreja e na vida da Sociedade.

Comentários

Comentários