O vosso trabalho, fazei-o de boa vontade, como quem serve ao Senhor e não aos homens. (cf. Col 3, 14-15.17.23-24)

Em Deus o trabalho é expressão de amor,
ternura que faz cada coisa única,
arte criativa que em cada detalhe põe a marca do Criador.
O dinamismo de liberdade faz de Deus 
um trabalhador incansável, um pastor atento,
um restaurador de dignidade, um salvador de náufragos,
um pedagogo da felicidade, um médico de campanha,
um carregador de cruzes alheias, um voluntário apaixonado!
Deus escolheu José, carpinteiro de Nazaré,
para com o seu exemplo e trabalho ensinar Jesus, seu Filho,
a elevar o trabalho à dignidade de missão concriadora com Deus!

O trabalho pode ser visto como um castigo ou uma inevitabilidade,
ou como uma oportunidade de usar as suas competências,
de ganhar dinheiro e independência financeira.
Quem se vê forçado a trabalhar andará sempre contrariado,
a fugir do esforço, a olhar para o fim do horário, 
o dia das folgas e das férias, e o aumento dos salários.
Quem trabalha por gosto e de boa vontade,
faz as coisas com alegria e com amor,
cria bom ambiente entre os colegas,
sente-se pedra viva no projeto de um mundo novo.
Quem trabalha com fé, sabe caldear oração e trabalho,
celebração e vida, semana e domingo, família e empresa,
profano e sagrado, projetos e liberdade!

Senhor, Coração que não se cansa em fazer o belo,
em recuperar o amável, em restaurar a felicidade,
continua a trabalhar em nós, a recriar-nos filhos de Deus,
a curar dependências, a forjar liberdade.
Cristo, Filho do Carpinteiro de mãos e pés calejados,
ensina-nos a ser obreiros de um mundo mais justo,
mais confiante no Pai e solidário na fraternidade.
Espírito Santo, ajuda-nos a santificar tudo o que é profano
e a dar glória a Deus com o trabalho de cada dia.
S. José, operário humano da filiação divina,
intercede para que a atividade humana seja dignificante
e colabore na majestosa e bela obra da Criação!

Pe. José Augusto 

Comentários

Comentários