O Senhor esteve a meu lado e deu-me força. (cf. 2 Tim 4,6-8.17-18)
A fraqueza de Pedro e a violência de Paulo foram visitadas
pela luz de Jesus, na noite da traição e na estrada da perseguição.
Surpreendidos pela misericórdia dum amor desconhecido,
deixaram-se seduzir e colocaram-se a anunciar
a mensagem da Boa Nova que a todos quer salvar.
Pelo caminho, os desafios brotaram espinhos,
mas o Emanuel fez-se companheiro, servido em Pão que fortifica.
O martírio coroou as suas vidas, como colunas da Igreja,
e que força o seu testemunho continua a dar a quem peregrina!
O cristão, praticante da fé, respira e transpira, naturalmente,
anúncio da Boa Nova da salvação de Jesus para todos.
Cada dia, faz a experiência da sua fragilidade e inconstância,
e de como Cristo é força e graça, revelada pelo Espírito Santo.
Por isso, o que anuncia não são conceitos e verdades teóricas,
mas uma história de salvação pessoal, feita de pedaços de vida,
onde o pecado e a graça se vão entrelaçando,
guiados pela mão dAquele venceu o mundo.
É um combate que já está vencido, na tempestade adversa,
se Jesus for o barco e o Espírito Santo o leme que nos conduz!
Senhor, nossa força e salvação,
cura-nos do medo que esconde o testemunho
e do zelo apostólico que gera redemoinho destruidor.
Com Pedro, ensina-nos a ser pedra que suporta na fé.
Com Paulo, ensina-nos a ser carta que anuncia Boas Novas.
S. Pedro e S. Paulo, intercedei por nós, peregrinos do Caminho,
e ajudai-nos a colocar como prioridade da nossa vida
a partilha da salvação de Jesus aos que andam perdidos e iludidos.
Pe. José Augusto Leitão

Comentários

Comentários