Bem-aventurados os que sofrem perseguição por amor da justiça. (cf. Mt 5,1-12a)
A felicidade de Jesus é ser agradável ao Pai.
A felicidade do Pai é ver-nos a todos
com os mesmos sentimentos que há em Cristo Jesus.
A felicidade do Espírito é construir pontes,
numa comunhão de amor e de valores.
A nossa felicidade é viver a profecia com perseverança
e ser fiel ao que é eterno e é verdade essencial,
mesmo a contravento e perseguidos injustamente.
É uma santidade que se recebe como dom e se defende como tesouro!
A santidade anda conotada com espiritualismo,
beatismo e ritualismo, vida insonsa, fuga do mundo…
No entanto, nas bem-aventurança um santo é alguém feliz,
livre de dependências e de massificações,
que chora e se solidariza com quem anda aflito,
que é humilde e audaz, promove a paz e é misericordioso,
anseia por ser fiel e vive em constante discernimento,
não tem medo da solidão, é perseverante na perseguição
e não se deixa corromper nem tentar,
tem o coração puro de preconceitos e de ressentimentos,
porque sabe em Quem acredita e segue a sua Voz de Pastor!
Santíssima Trindade, Oceano de santidade,
donde vimos e para onde Deus quer que voltemos,
porque a sua alegria é ver-nos felizes e amantes!
Cristo, Santo de carne e osso a recriar-nos santos,
dá-nos a tua mão, porque andamos cegos e perdidos.
Dá-nos o dom da contemplação e do discernimento,
para que saibamos ser felizes em Ti e por Ti,
num espanto que nos desperta das nossos sonhos sonâmbulos.
Ajuda-nos a ser santos e felizes na arte de Te seguir,
impelidos pela fé, pela caridade e pela esperança!
Santos e santas de Deus, intercedei por nós pecadores!
Pe. José Augusto

 

Comentários

Comentários