UM DIA DE FORMAÇÃO COM A FNA

A Fraternidade Nuno Álvares Pereira (FNA), através do Departamento Nacional de Formação, levou a efeito uma sessão do Curso Base, realizado no Tortosendo, dia 9 de março, para os Escuteiros Fraternos da recente criada Região da Guarda.

A ação de formação teve lugar no Auditório Dr. António Mendes Fernandes, “um Homem bom e sempre pronto a ajudar, promover os valores e os direitos do Homem, com base na justiça e na solidariedade,” assim reza a inscrição numa placa exposta. Curiosamente estas palavras também assentam nos valores escutistas, tornando numa coincidência que me fez refletir e ajudar-me para a sessão de trabalho que iria ter.

Este Curso só foi possível dada a colaboração logística da Junta de Freguesia e do Núcleo da FNA do Tortosendo, nomeadamente o seu Presidente, Carlos Serra, e de toda sua Equipa.

Depois de tantos anos, fazer uma reciclagem, relembrar e aprofundar conhecimentos é sempre importante e na vida, independente da idade ou profissão, está-se permanentemente a aprender, contrariando o ditado popular: “burro velho não aprende línguas!”

Durante um dia foram muito e diversificados os assuntos apresentados no módulo principal. Missão do Escuteiro Adulto, com os respetivos objetivos e conceitos.

Na primeira parte, sobre as finalidades gerais do escutismo, abrangeram-se áreas como o carater, a saúde, o serviço e a habilidade manual. Na segunda parte elucidaram-se temas como o desenvolvimento da personalidade e o desenvolvimento físico, o sentido dos outros, ou desenvolvimento social, a criatividade, ou o desenvolvimento prático e o sentido de Deus ou o desenvolvimento espiritual.

Resume-se que o no Escutismo há educação pela ação, formação integral e espiritual dos jovens, não sendo um sinal de passatempo, ou do tipo “ATL”, mas sim um modo de vida. Por isso não é apenas um jogo de aprendizagem para jovens, mas também um caminho onde todos, incluindo os adultos, podem sentir e viver.

A missão do Escuteiro Adulto, fundamenta-se nas palavras de Baden Powell, “apegai-vos sempre à vossa promessa escutista – mesmo depois de já não serdes rapazes ou raparigas – e Deus vos ajude a proceder assim…”. Por isso se diz que escuteiro uma vez, escuteiro para toda a vida!

Neste modulo, o formador traçou na parte final, a História da Fraternidade Nuno Álvares nos anos desde 1939 até 2009, tendo tido para mim um particular interesse. Efetivamente o papel desta Associação é muito esquecido no mundo escutista português, que conta com mais de dois mil filiados.

No segundo Módulo, sobre as Estruturas e Organização da FNA, foram apresentados os objetivos e a identificação dos vários níveis da associação, a descrição, composição e competências dos diversos órgãos estabelecidos nos estatutos e regulamentos.

No terceiro módulo foi abordado a Mística e Simbologia da FNA, um dos aspetos mais importantes para o significado do escutismo. Mística palavra com origem grega, tem o significado de mistério, ou de segredo, muito ligada ao imaginário e ao espírito. Através da mística pretende-se chegar a um objetivo com uma mensagem que complementa o nosso modo de vida.

Nesta mística está obviamente o Patrono da FNA (e também um dos patronos do CNE), São Nuno de Santa Maria, onde o formador descreve-nos as caraterísticas deste Santo, como Homem, Herói e Servo de Deus.

No quarto módulo, um dos mais importantes, é me relembrado os Valores da Lei, Princípios e Promessa, tendo por objetivo identificar os valores (infelizmente a desaparecer) e princípios existentes na Lei do Escuta e da importância da Promessa, onde perante Deus assumimos um compromisso de homens de boa vontade ao serviço da comunidade.

No último módulo foi abordada a vida de um Núcleo da FNA. Foi-nos apresentado um organigrama do funcionamento da unidade base do movimento, que se pode resumir a três palavras: ação, compromisso e serviço.

Quando os formadores numa linguagem simples, competente e sabedora, calcorreadores de caminhos, veredas, montanhas, com a mochila às costas, improvisando meios para dar respostas a situações emergentes, os seus ensinamentos são uteis e aliciantes para uma vintena de formandos fraternos. Sem dúvida que esta ação de formação foi bem enriquecedora e, a quem foi escuteiro há uns bons anos, ajudou-nos a transportar para um passado que deve estar bem presente nas nossas vidas.

António Cardoso, Diretor do Curso e engenheiro de profissão, no final entregou a cada participante o certificado de presença do Curso Base da FNA, bem como o caderno dos respetivos apontamentos.

Salienta-se a presença do Missionário Rico, do Verbo Divino do Tortosendo, de origem indonésia, que revelou a sua simpatia para com todos os participantes. É salutar a presença do magistério da Igreja nestas ações, para não cair nos núcleos de “para-quedas” e sem saber a essência dos princípios deste movimento escutista.

António Alves Fernandes

Aldeia de Joanes

Março/2019

Comentários

Comentários