VALE DAS ÉGUAS- SABUGAL- A DESCOBERTA DE UM OÁSIS

É sempre com muita saudade e alegria que regressamos ao território da nossa infância.
Assim aconteceu no primeiro sábado deste mês quente de Julho, a convite de familiares e amigos da Bismula, com destino à Praia Fluvial de Vale das Éguas. Estava reservada uma estadia na Zona de Lazer de Ínsua, nas margens do Rio Côa, que segundo uma lápide foi inaugurada em 16 de Agosto de 2007, por Manuel Rito Alves, autarca do Sabugal e pelo Presidente da Junta José Fernando Rasteiro.
Local paisagístico invulgar, com a envolvência de lameiros com pastagens ancestrais, matos com giestas, freixos, amieiros, carvalhos negrais. Açudes, noras que regavam várzeas com os braços de uma população que na metade do século passado se ausentou para o estrangeiro, na procura de melhores condições de vida. Moinhos de rodízio que moíam trigo e centeio e outros cereais. Cheiros e sons que só a mãe natureza sabe dar. Em termos desportivos, além de trilhos para caminhadas, há a caça e principalmente a pesca.
Com todas as condições para ali se cozinhar e saborear uma refeição, dispõe de um bar, explorado pela Associação dos Amigos de Vale das Éguas. Ouvimos o seu responsável Diogo Antunes, da Ruvina: “ a maior afluência é nos meses de Julho e Agosto, principalmente emigrantes. Quem cá vem pela primeira vez repete a visita. A língua oficial nesse período é o francês.”
Joaquim Gonçalves, Secretário da Junta de Freguesia, diz que “ este empreendimento é para chamar as gentes a Vale das Éguas. Cada vez somos mais conhecidos. O fundamental é estas terras não ficarem desertificadas. Estes espaços são importantes para fixar as gentes que vêm da diáspora, permitindo que aqui passem os dias das suas férias. Nos dias de hoje este turismo rural é muito procurado, porque o pessoal das cidades, dos grandes aglomerados populacionais, gosta de vir para estes ambientes, para este contato com a natureza. Aqui temos ainda uma vantagem, não há rede de telemóvel para nos chatear. Perante o aumento de procura, obriga-nos a fazer melhoramentos e a ampliar as instalações. Em 2015, colocámos a luz elétrica, arranjo de grades, vedações e duas pistas pedonais.”
Paulo Canelas de Vale das Éguas: “com a inauguração em 2007 deste empreendimento, desta infraestrutura autárquica, Vale das Éguas passou a constar no panorama concelhio e distrital, passou a atrair pessoas, que gostam de desfrutar do carinho da natureza. Esta obra é uma mais-valia que esta Junta de Freguesia nos proporciona. Tenho dois filhos e já não me perguntam quando vamos para a praia, querem ficar aqui nesta praia fluvial. É um espaço que reúne três, quatro gerações, com a vantagem de se conhecerem e de se viver em ambiente familiar”.
Tom Gaillard, de 10 anos, natural de Dijon, França, com familiares em Vale das Éguas: “estou aqui de férias com os meus avós e a minha linda prima. Aqui há muito sol que não existe em França.”
Manuel Sanches Antunes, da Ruvina: “colaborei na reinstalação dos diversos equipamentos, que todos os anos tem de ser realizada. Deviam ser revistos os acessos com o alargamento do caminho, sem destruir os muros de granito que os nossos antepassados nos legaram. Fazem parte do nosso património rural. Deve criar-se um outro caminho alternativo.”
Joaquim Carreira, da Bismula: “ gosto de vir aqui recuperar forças de uma semana de trabalho duro numa pedreira em Pousade. Trabalhei na Bélgica nas obras do Parlamento Europeu, mas em Portugal está-se melhor; embora ganhe menos, sou mais feliz.”
Lara Canelas da Guarda, onze anos: “venho para aqui por causa dos amigos, porque gosto de nadar, de andar de canoa e de passar por estes caminhos. Também admiro este rio Côa com águas calmas. É agradável ter aqui um bar para saborear os gelados, principalmente nestes dias de muito calor.”
Valeu a pena conhecer este espaço maravilhoso. Há sempre um Portugal desconhecido que espera por nós. Em Vale das Éguas, há um que começa a ser conhecido.

António Alves Fernandes
Aldeia de Joanes
Julho/2016

priest

Comentários

Comentários